Sujeito

Curta e Compartilhe!


Compartilhar no Whatsapp
Por Cristiana Gomes
Para que uma oração tenha significado, são necessários alguns termos básicos que são chamados de essenciais, indispensáveis, ou seja, que não podem faltar.

São eles: sujeito e predicado.

Sujeito

É o termo da oração sobre o qual se diz alguma coisa.

EX: Maria fez faculdade de Letras.

Maria é o sujeito da oração, pois é a respeito dela que se diz algo.

Núcleo do Sujeito

É a palavra mais importante do sujeito. No exemplo citado acima, Maria é o sujeito e núcleo do sujeito, também.

Porém, às vezes, o sujeito vem composto por várias palavras e conectivos. Então, é preciso identificar qual destas palavras é a mais importante.

EX: O carro do meu pai é azul.

O sujeito é: O carro do meu pai.

Temos cinco termos. Destes, o mais importante é carro. Logo, carro é o núcleo do sujeito.

EX 2: Esta casa é bonita.

Sujeito: esta casa
Núcleo: casa

Classificação do Sujeito

O sujeito pode ser:

- Simples
- Composto
- Oculto ou desinencial
- Indeterminado
- Oração sem sujeito.

Sujeito Simples

Possui apenas um núcleo.

Exemplo: As estrelas brilham no firmamento.

Sujeito: As estrelas
Núcleo: estrelas

Sujeito Composto

Possui mais de um núcleo.

Exemplo: O menino e a menina vão à escola.

Sujeito: O menino e a menina
Núcleo: menino/menina

Sujeito Oculto ou Desinencial

Não está presente na frase, mas é reconhecível pela terminação verbal.

EX: Concordamos com as suas idéias.

Sujeito: nós
Núcleo: nós

EX 2: Não entendi a questão.

Sujeito: eu
Núcleo: eu

Sujeito Indeterminado

O sujeito não está expresso na oração. Existem duas formas de indeterminar o sujeito.

1. Verbo na terceira pessoa do plural

- Mandaram os acidentados para o hospital.
- Falaram bem de você.
- Telefonaram para você.

2. Verbo na terceira pessoa do singular + partícula – se junto de qualquer verbo (exceto o verbo transitivo direto)

- Precisa-se de carpinteiros. (o verbo precisar é transitivo indireto)
- Acredita-se em marcianos. (acreditar é transitivo indireto)
- Trabalha-se demais aqui. (trabalhar é intransitivo)

Oração sem Sujeito

Ocorre oração sem sujeito nos seguintes casos.

1. Com o verbo haver no sentido de existir ou com referência à passagem de tempo.

- Há dois meses que não o vejo.
- Há vários alunos na sala.
- Há muitos anos que não o vejo.
- Havia cinco alunos na biblioteca.

Nestes casos o verbo haver é impessoal. Porém, se nós substituirmos haver por existir, já não será mais um caso de oração sem sujeito.

EX: Existiam cinco alunos na sala.

Sujeito: cinco alunos.

O verbo existir possui sujeito, pois ele não é impessoal.

2. Com verbos e expressões que indicam fenômenos meteorológicos.

- Trovejou hoje.
- Nevou no sul do Brasil.

3. Com verbos fazer, ser, estar indicando tempo ou clima.

- Faz dois anos que ele saiu.
- É uma hora.
- Está frio.

Observações Finais

Sujeito representado por um pronome indefinido.

- Alguém viu o cometa?
- Ninguém estudou.
- Todos viajaram.
- Muitos ficaram felizes
- Ninguém viu minha caneta?
- Todos ficaram quietos.

O sujeito será o próprio pronome e será classificado como sujeito simples.

Observe os exemplos:

- Choveu papel picado.
Sujeito: papel picado

- Eu amanheci com dor de cabeça.
Sujeito: eu.

Não se trata de oração sem sujeito porque os verbos foram usados no sentido figurado. Logo, eles possuem sujeito.