Sujeito

Por Cristiana Gomes
Para que uma oração tenha significado, são necessários alguns termos básicos que são chamados de essenciais, indispensáveis, ou seja, que não podem faltar.

São eles: sujeito e predicado.

Sujeito

É o termo da oração sobre o qual se diz alguma coisa.

EX: Maria fez faculdade de Letras.

Maria é o sujeito da oração, pois é a respeito dela que se diz algo.

Núcleo do Sujeito

É a palavra mais importante do sujeito. No exemplo citado acima, Maria é o sujeito e núcleo do sujeito, também.

Porém, às vezes, o sujeito vem composto por várias palavras e conectivos. Então, é preciso identificar qual destas palavras é a mais importante.

EX: O carro do meu pai é azul.

O sujeito é: O carro do meu pai.

Temos cinco termos. Destes, o mais importante é carro. Logo, carro é o núcleo do sujeito.

EX 2: Esta casa é bonita.

Sujeito: esta casa
Núcleo: casa

Classificação do Sujeito

O sujeito pode ser:

- Simples
- Composto
- Oculto ou desinencial
- Indeterminado
- Oração sem sujeito.

Sujeito Simples

Possui apenas um núcleo.

Exemplo: As estrelas brilham no firmamento.

Sujeito: As estrelas
Núcleo: estrelas

Sujeito Composto

Possui mais de um núcleo.

Exemplo: O menino e a menina vão à escola.

Sujeito: O menino e a menina
Núcleo: menino/menina

Sujeito Oculto ou Desinencial

Não está presente na frase, mas é reconhecível pela terminação verbal.

EX: Concordamos com as suas idéias.

Sujeito: nós
Núcleo: nós

EX 2: Não entendi a questão.

Sujeito: eu
Núcleo: eu

Sujeito Indeterminado

O sujeito não está expresso na oração. Existem duas formas de indeterminar o sujeito.

1. Verbo na terceira pessoa do plural

- Mandaram os acidentados para o hospital.
- Falaram bem de você.
- Telefonaram para você.

2. Verbo na terceira pessoa do singular + partícula – se junto de qualquer verbo (exceto o verbo transitivo direto)

- Precisa-se de carpinteiros. (o verbo precisar é transitivo indireto)
- Acredita-se em marcianos. (acreditar é transitivo indireto)
- Trabalha-se demais aqui. (trabalhar é intransitivo)

Oração sem Sujeito

Ocorre oração sem sujeito nos seguintes casos.

1. Com o verbo haver no sentido de existir ou com referência à passagem de tempo.

- Há dois meses que não o vejo.
- Há vários alunos na sala.
- Há muitos anos que não o vejo.
- Havia cinco alunos na biblioteca.

Nestes casos o verbo haver é impessoal. Porém, se nós substituirmos haver por existir, já não será mais um caso de oração sem sujeito.

EX: Existiam cinco alunos na sala.

Sujeito: cinco alunos.

O verbo existir possui sujeito, pois ele não é impessoal.

2. Com verbos e expressões que indicam fenômenos meteorológicos.

- Trovejou hoje.
- Nevou no sul do Brasil.

3. Com verbos fazer, ser, estar indicando tempo ou clima.

- Faz dois anos que ele saiu.
- É uma hora.
- Está frio.

Observações Finais

Sujeito representado por um pronome indefinido.

- Alguém viu o cometa?
- Ninguém estudou.
- Todos viajaram.
- Muitos ficaram felizes
- Ninguém viu minha caneta?
- Todos ficaram quietos.

O sujeito será o próprio pronome e será classificado como sujeito simples.

Observe os exemplos:

- Choveu papel picado.
Sujeito: papel picado

- Eu amanheci com dor de cabeça.
Sujeito: eu.

Não se trata de oração sem sujeito porque os verbos foram usados no sentido figurado. Logo, eles possuem sujeito.