Alcóxidos

Os alcoóis são considerados ácidos fracos capazes de reagir com os metais alcalinos e alcalino-terrosos entre outras bases fortes para formar compostos chamados alcóxidos. As reações abaixo expressam melhor essa condição.

Os alcoóis são ácidos fracos em dissociação iônica, ou seja, dissociam-se fracamente em solução. Onde a acidez relativa dos alcoóis pode ser expressa na seguinte ordem:

Podemos notar através dessa ordem que a dissociação ou solvatação de álcool diminui com o aumento de sua cadeia apolar representada pelo radical R. De modo que a reação acima mostra que o álcool terc-butilico é um ácido mais fraco do que o metanol . Porém algumas medidas recentes mostram o contrário, em virtude da cadeia de terc-butil ter uma forma mais esférica que aumenta o grau de solvatação, sendo ela uma exceção com relação a solvatação. Não obstante é necessário notar que outras bases consideradas fortes também formam alcóxidos uns exemplos dessas bases são o íon hidreto H- e o íon amideto NH2-, capazes de deslocar esse hidrogênio do grupo OH.

Os alcoóis também reagem com os reagentes de Grignard em uma reação ácido base com a formação de sais alcóxidos. Vale lembrar que os reagentes de Grignard são haletos de alquila,ou seja, são haletos orgânicos que possuem o magnésio em sua composição química. Quando esses reagentes são adicionados aos alcoóis acontece uma troca de radical onde o alcóxido é substituído pelo hidrocarboneto que estava ligado ao reagente em virtude da reatividade dos alcóxido serem mais acentuadas. Esses reagentes comportam-se como carboânions em virtude da ligação C-Mg ter uma natureza altamente polar.

Etanol + Brometo de fenilmagnésio =  Benzeno   +       Brometo de etlimagnésio

Propriedades físico-químicas

Os alcóxidos são sais e por este motivo se assemelham aos sais comuns em cor, odor, pontos de fusão e ebulição. São compostos relativamente solúveis em água e escassamente solúveis em solventes orgânicos.

Utilização dos alcóxidos

Os alcóxido são compostos amplamente empregados na síntese de éteres através de uma reação conhecida como síntese de Williamson. Essa facilidade de formação de éteres é devida simplesmente ao fato de que os éteres são compostos que possuem a fórmula geral R-O-R.

Isso possibilita a síntese de um éter quando um alcóxido reage com um haleto, por que os haletos como Cl, I e Br, possuem uma eletronegatividade menor do que a do oxigênio e consequentemente o haleto  forma um sal com o cátion e radical orgânico liga-se ao oxigênio do alcóxido,formando um éter. Atenção o Flúor apesar de ser um haleto não é deslocado pelo oxigênio pelo simples fato de ser o mais eletronegativo dos elementos químicos.

Essa condição é expressa pela reação abaixo de modo que podemos observar a reação entre o terc-butóxido de potássio + iodeto de metila  formam o éter terc-butóxi-metano e o sal iodeto de potássio.

Bibliografia:
ALLINGER, Norman L. et al. Química Orgânica. 2. ed. Rio de Janeiro : LTC, [1976].

SOLOMONS, T.W.G.; FRYHLE, C.B. Química Orgânica. Rio de Janeiro: LTC Editora. 7.ed., 2001

Advanced Organic Chemistry: Part B: Reaction and Synthesis- Francis A. Carey