Amálgama

Por Ana Maria da Luz
Amálgama é o nome dado à liga metálica em que o componente mais importante é o mercúrio. Este quando junta-se com a prata origina uma liga denominada de amálgama de prata-mercúrio, esta liga é muito utilizada em odontologia para fins de restauração de dentes. Cada combinação é utilizado em uma área específica.

O amálgama originou-se na Europa e posteriormente levada aos Estados Unidos, era obtido através da raspagem de moedas de prata, em seguida esse pó obtido era misturado ao mercúrio. No entanto, a qualidade do material não era muito boa, pois dependia da qualidade e limpeza da moeda. Esse agravante levou o cientista V. Black a estabelecer padrões de composição entre a prata e estanho na liga de amálgama, o qual seria de 68% de Ag e 25% de Sn, o que equivale a três átomos de prata para um de estanho. Black ainda sugeriu que parte da prata poderia ser substituída por cobre, para melhorar as propriedades mecânicas da liga, mas esse valor não poderia ultrapassar 6%.

Tipos de amálgama

  • Amálgama de Sódio: é a mistura de Sódio metálico com mercúrio. Utilizado na fabricação de lâmpadas de sódio e em química orgânica como agente redutor.
  • Amálgama de Alumínio: Também utilizada como agente redutor em química orgânica.
  • Amálgama de Prata: Mistura de prata, cobre e estanho com mercúrio, usado em restaurações odontológicas.
  • Amálgama de Estanho: Superfícies refletoras de espelhos
  • Amálgama de Ouro: liga de ouro com mercúrio utilizado na extração de ouro,  evapora-se o mercúrio e obtém-se o ouro puro.
  • Amálgama de Tálio: Utilizado na fabricação de termômetros de baixas temperaturas, pois seu ponto de congelamento é menor que o do mercúrio.

Função do zinco na amálgama de prata

Enquanto ocorre a fusão dos componentes da liga de amálgama, é adicionado o zinco para agir como antioxidante e fazer a limpeza dos compostos da liga. Nos dias atuais essa técnica foi substituída por processos de descontaminação mais sofisticados.

 

Propriedades da amálgama para uso odontológico

  • Plasticidade: Na odontologia essa característica é fundamental, para permitir o contato do material restaurador e as paredes cavitárias.
  • Alterações dimensionais: Durante as 24 horas após a amalgamação deverá ocorrer uma expansão da amálgama, pois, ao contrair durante a cristalização pode ocorrer infiltração na restauração dentária.  Com essa expansão e a elasticidade dentária há um selamento da cavidade trabalhada.
  • Propriedades mecânicas de resistência: Esse fator é importante, pois a peça precisa ser resistente para suportar os impactos da mastigação. E deve ser também resistente à corrosão, proveniente da reação química com alimentos ingeridos e a saliva. Caso contrário trará efeitos estéticos ao paciente.
  • Toxicidade: O mercúrio um dos componentes da amálgama dentária é um elemento tóxico para o ser humano, assim sendo, é preciso empregar a quantidade exata na composição.

Referências:
SANTOS, José F. F. Restaurações de Amálgama. 1ªedição, São Paulo: . editora: Santos , 1990.
Amálgama: Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Amálgama