Chuva ácida

O ser humano tem desde longa data usufruído de forma muitas vezes errada dos recursos naturais que estão disponíveis no planeta fazendo com que o mesmo seja destruído. Após o desenvolvimento das indústrias, mais precisamente depois da Revolução Industrial no século XVIII, a queima de combustíveis fósseis para gerar energia aumentou criando assim uma grande alteração no ambiente, bem como o advento da indústria automobilística também contribui para esse processo.

Esses processos destrutivos citados acima desencadeiam entre outros efeitos o efeito estufa, que nada mais é do que a elevação drástica do nível de aquecimento do planeta e a chuva ácida, que é o fenômeno que iremos enfocar neste artigo.

A chuva ácida ocorre quando alguns óxidos se encontram na atmosfera e quando entram em contato com o vapor de água formam substâncias ácidas (ácido sulfúrico [H2SO4] e ácido nítrico [HNO3]) que precipitam em forma de chuva, mais precisamente de chuva ácida. Estes óxidos são dióxido de enxofre (SO2), dióxido de nitrogênio (NO2) e monóxido de nitrogênio (NO) principalmente e são liberados primordialmente pela queima de combustível dos automóveis e das indústrias, entre outras reações de queima em menor escala.

Um fato interessante é que o fenômeno da chuva ácida pode por vezes não ocorrer no local da poluição que a gerou, sendo difícil de ser rastreada. Por exemplo a usina termoelétrica de Candiota, localizada na cidade de Bagé/RS devido à emissão de gases poluentes provoca a chuva ácida no Uruguai.

O esquema abaixo é excelente para exemplificar o ciclo de formação da chuva ácida:

Formação da Chuva Ácida. Ilustração: EPA.gov [domínio público]

Formação da Chuva Ácida. Ilustração: EPA.gov [domínio público]

Sabemos que existe a escala de acidez ou de pH onde verificamos se uma substância é ácida ou não e que ela varia de 0 a 14. Quando os valores são abaixo de 7 temos substâncias ácidas, quando possuem pH igual a 7 são neutras e acima de 7 são básicas. A chuva geralmente tem pH em torno de 5,5 ou seja, ela é ácida, porém isso não tez nenhum dano ao ser humano. Quando falamos de chuva ácida estamos falando em um pH entre 2 e 5, bastante ácido que pode afetar construções, plantações, a saúde humana entre outros.

No ser humano podem haver complicações também advindas desse fenômeno são: maior incidência de casos de asma e sinusite, conjuntivite, problemas pulmonares e também doenças cardiovasculares. Podem também haver ulcerações de pele ou mucosas (cancro) devido à presença de substâncias ácidas durante a exposição ao sol.

Desde muito tempo esse fenômeno vem afetando inclusive obras de arte, estátuas e construções antigas que ficam expostas às intempéries.

Inclusive um dos efeitos da chuva ácida que foi descoberto e que poucos sabem é o desmatamento da Mata Atlântica, onde esse fenômeno é um dos principais responsáveis. E também de acordo com o WWF (Fundo Mundial para a Natureza) em torno de 35% dos ecossistemas da Europa foram destruídos pela chuva ácida. A cidade de Cubatão, no estado de São Paulo em 1980 foi considerada a cidade mais poluída do mundo pela Organização das Nações Unidas (ONU) e hoje recebe o selo de cidade-símbolo de recuperação ambiental pelo mesmo órgão por ter controlado 98% dos poluentes no ar.

Algumas ações vêm sendo executadas por diversos países como Estados Unidos, China, Alemanha, geralmente os que detém a maior quantidade de indústrias, porém talvez isso esteja longe de ser solucionado.

Referências:
http://www.usp.br/qambiental/chuva_acidafront.html
http://www.pensamentoverde.com.br/