Metais preciosos

Por André Luis Silva da Silva
Recebe a denominação de metal precioso o elemento químico (metálico) de alto valor econômico. Isso se deve basicamente a fatores químicos como a sua baixa reatividade (praticamente não sofrem oxidação, não cedem elétrons), apresentam elevado ponto de fusão (necessitam de altas temperaturas para seu derretimento) e fatores visuais, prestam-se como material de aparência atrativa, são lustrosos, brilhosos, etc. Uma lista desses metais é bem sucinta, não podendo ficar de fora a platina (Pt), o ouro (Au), a prata (Ag), o irídio (Ir) e o paládio (Pd).

“A principal razão para o quinteto precioso não se deteriorar facilmente é que platina, ouro, paládio, irídio e prata são encontrados puros na natureza, o que não acontece com metais comuns como o ferro. O ferro é encontrado na natureza na forma de óxido de ferro. Na indústria, retiram o oxigênio para deixá-lo puro, mas ele acaba se ligando ao oxigênio do ar e assim fica com o aspecto enferrujado. Outra característica que distingue os metais preciosos é a maleabilidade: eles podem ser derretidos e assumir formatos variados. Daí a razão porque são usados fartamente nas joalherias. O bronze, apesar de aparecer logo após o ouro e a prata nos quadros de medalhas de competições esportivas, não é precioso - é uma liga metálica de cobre e estanho e custa cerca de 10 reais por quilo. Mais valiosos são o irídio e o paládio. Apesar de pouco conhecidos, também vêm sendo considerados metais preciosos e começam a aparecer mais nos catálogos de joalherias”1.

Logo na história humana os metais foram associados às questões econômicas, o que ainda hoje fazemos. Por exemplo, “o penhor, então, surgiu como uma modalidade de empréstimo àqueles que ofereciam seus artigos de valor econômico (geralmente objetos metálicos) em troca de dinheiro. Atualmente, este conserva sua finalidade e continua a fazer parte do cenário econômico brasileiro devido principalmente à sua importância social”2.

Ainda no que se refere a fatores econômicos, os metais preciosos são avaliados em troys, onde 1 troy corresponde a aproximadamente 30g. Assim, de acordo com o Departamento Nacional de Produção Mineral do Ministério das Minas e Energia (2012), a tabela abaixo mostra os valores atribuídos a cada um deles, por troy.

METAL PREÇO (US$)
Platina 1.132,00
Ouro 633,10
Prata 13,64
Irídio 400,00
Paládio 326,00

Embora não tão próximo de nosso cotidiano como o ouro e a prata, a platina realmente se destaca, estando no topo da lista. Suas utilizações estão no meio laboratorial, como catalisador de uma série de processos, e na fabricação de materiais cirúrgicos, como, por exemplo, os pinos de aço cirúrgicos (comumente chamados de pinos de platina). Isso se deve, uma vez mais, às propriedades químicas da platina, destacando-se àquela de baixíssima oxidação, tornando a sua utilização interna segura a uma série de traumatismos.

Referências:
1. http://mundoestranho.abril.com.br/materia/quais-sao-os-metais-mais-preciosos-que-existem
2. http://qnint.sbq.org.br/qni/visualizarTema.php?idTema=61
ATKINS, Peter; JONES, Loreta; Princípios de Química: questionando a vida moderna e o meio ambiente, Porto Alegre: Bookman, 2001.