Testículos

Por Débora Carvalho Meldau
Os testículos são as gônadas sexuais masculinas dos animais sexuados, que possui dupla função: produzir as células sexuais masculinas (espermatozóides) e sintetizar hormônios.

Anatomia do testículo. Ilustração: sciencepics / Shutterstock.com [adaptado]

Anatomia do testículo. Ilustração: sciencepics / Shutterstock.com [adaptado]

O principal hormônio sintetizado pelo testículo é a testosterona, bem como o seu metabólito diidrotestosterona, sendo que o primeiro é altamente importante para o processo de espermatogênese (produção de espermatozóides), para a diferenciação sexual durante o desenvolvimento embrionário e fetal, assim como para o controle da secreção das gonadotropinas.

Normalmente, os indivíduos do sexo masculino possuem dois testículos. Cada um apresenta-se envolto por uma grossa cápsula de tecido conjuntivo denso, denominada túnica albugínea. Esta última é espessada na superfície dorsal dos testículos para dar origem ao mediastino do testículo, do qual partem septos fibrosos. Estes, por sua vez, penetram no parênquima testicular dividindo-o em compartimentos piramidais, conhecidos como lóbulos do testículo. Estes septos são incompletos e, muitas vezes, ocorre intercomunicação entre os essas estruturas. No interior de cada lóbulo estão presentes de túbulos seminíferos (de 1 a 4) que se alojam como novelos dentro de um tecido conjuntivo frouxo altamente vascularizado, tanto por vasos sanguíneos quanto por vasos linfáticos, além de nervos e células intersticiais, denominadas células de Leydig. Os túbulos seminíferos são responsáveis por produzirem os espermatozóides, enquanto que as células de Leydig por secretarem andrógeno testicular (testosterona).

Os testículos se desenvolvem retroperitonealmente na parede dorsal da cavidade abdominal. Durante o desenvolvimento do feto, eles migram e se alojam no interior da bolsa escrotal, ficando suspensos na extremidade do cordão espermático. Consequentemente a esta migração, cada testículo arrasta consigo um saco de membrana serosa, conhecido como túnica vaginal, oriunda do peritôneo. Esta túnica é composta por duas camadas: uma parietal exterior e uma visceral interna, que recobre a túnica albugínea nas porções laterais e anterior do testículo. O escroto apresenta um importante papel na manutenção da temperatura testicular, sendo que esta deve encontrar-se alguns graus abaixo da temperatura corporal para que desempenhe normalmente suas funções.

O desenvolvimento testicular é quiescente até o início da puberdade, quando passa a realizar a espermatogênese. Deste modo, os testículos são pequenos até essa fase, quando crescem alcançando o tamanho adulto.

Estas estruturas são altamente sensíveis a impactos e lesões. Os principais problemas que acometem os testículos são:

Leia também:

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Testículo
Histologia Básica – Luiz C. Junqueira e José Carneiro. Editora Guanabara Koogan S.A. (10° Ed), 2004.
Bases da Patologia em Veterinária – M. Donald McGavin e James F. Zachary. Editora Elsevier, ed. 4°, 2009.