Sete Maravilhas do Mundo Antigo

Mestre em Artes Visuais (UDESC, 2010)
Graduada em Licenciatura em Desenho e Plástica (UFSM, 2008)

As Sete Maravilhas do Mundo correspondem a um conjunto de suntuosas obras artísticas e arquitetônicas criadas pela mão do homem durante a Antiguidade Clássica. Mas por quem e com quais objetivos esta lista foi elaborada? Esta lista de obras foi elaborada pelos gregos visando apresentar uma relação de coisas notáveis de serem apreciadas. Os gregos a intitularam “Ta Hepta Thaemata” que significa “Sete coisas dignas de serem vistas”. Estas obras de destacam, por sua grandeza, suntuosidade e, sobretudo, por sua história. Aliás, foi em função de sua história que muitas dessas obras resistem ao tempo, já que atualmente a única que ainda se apresenta quase intacta é a Grande Pirâmide de Gizé. Curiosamente, as Pirâmides de Gizé são a mais antigas da lista.

Ainda que os gregos tenham criados a lista das Sete Maravilhas do Mundo, apenas uma se encontra na Grécia, estátua de Zeus. As demais encontravam-se na Ásia Menor, Egito ou onde hoje localiza-se o Iraque.

Embora não haja um consenso sobre quem teria pensado esta listagem, acredita-se que a primeira referência de uma lista com monumentos dignos de serem apreciados foi criada por Heródoto (484 a.C. – cerca de 425 a.C.) e o estudioso Callímaco de Cyrene (cerca de 305 a.C – 240 a.C.). No entanto, a listagem que conhecemos hoje foi compilada na Idade Média, quando muitos dos locais citados já não existiam mais, baseados em escritos gregos.

Desse modo, a lista com as Sete Maravilhas do Mundo Antigo inclui: “A Grande Pirâmide de Gizé”, “Jardins Suspensos da Babilônia”, “A estátua de Zeus”, “O Templo de Artemis”, “O Mausoléu de Halicarnasso”, “O Colosso de Rhodes” e o “O Farol de Alexandria”.

Vale a pena conhecer cada um desses monumentos:

1. Grande Pirâmide de Gizé

Grande Pirâmide de Gizé. Foto: Veronika Kovalenko / Shutterstock.com

Contrariamente ao que as pessoas pensam, somente uma das três grandes pirâmides de Gizé, faz parte da lista original das Sete Maravilhas do Mundo. A Grande Pirâmide de Gizé (ou Pirâmide de Quéops) foi construída por volta de 2650-2500 a.C. para servir de monumento funerário para o faraó Quéops. Esta pirâmide é a maior das três que constituem as pirâmides de Gizé, além disso, é a única que permanece em pé e em bom estado de conservação comparado aos outros monumentos da lista. Acredita-se que cem mil homens trabalharam na construção da pirâmide que levou aproximadamente vinte anos para ser concluída, além de revelar em sua construção um grande conhecimento em geografia, astronomia, física, geologia, matemática entre outras ciências. Um provérbio árabe que faz referência as pirâmides diz: “O homem teme o tempo, e o tempo teme as pirâmides”.

2. Jardins Suspensos da Babilônia

Jardins Suspensos da Babilônia. Ilustração de Jean Antoine Valentin Foulquier [domínio público] / via LOC.gov

Estes consistiam em uma estrutura arquitetônica de seis montanhas artificiais com terraços que abrigavam belos jardins. Os Jardins Suspensos construídos pelo rei Nabucodonosor por volta de 605 a.C. em homenagem a sua esposa Amyitis que se sentia saudosa da natureza da sua terra natal. A construção ficava à beira do Rio Eufrates na região da Mesopotâmia e teria sido feita de tijolos cozidos e contendo cinco andares. No entanto, não se sabe ao certo se estes jardins realmente existiram, mas escavações arqueológicas sustentam indícios de sua construção. Suspeita-se que um poço encontrado nessas escavações seria usado para bombear a agua aos terraços. O esplendor dessa construção dá-se pelo fato de que a região da Mesopotâmia é uma região deserta e muita seca, assim edificar jardins em meio ao deserto foi grande feito.

3. Estátua de Zeus

A Estátua de Zeus foi construída pelo artista grego Phídias por volta de 450 a.C. e levou cerca de oito anos para ser concluída. Medindo entre 10 a 15 metros de altura, o equivalente a um prédio de cinco andares, a estátua foi feita em ouro, marfim e pedras preciosas e representava Zeus sentado em seu trono, indicando sua soberania e triunfo. Ela foi esculpida na cidade grega de Olímpia, na planície de Peloponeso. Foi transferida para Constantinopla (hoje Istambul), onde se acredita ter sido destruída em 462 a.C., por um incêndio, provocado por um terremoto. A Estátua de Zeus foi retratada em moedas da cidade de Olímpia, em função disso é possível se ter uma ideia de como ela era.

4. Templo de Artemis

O Templo de Artemis foi construído em Éfeso, onde hoje é a Turquia, em Homenagem a deusa grega Artemis, por volta dos anos 550 a.C. e mandado construir pelo rei Creso, da Lídia. O templo era sustentado por colunas de mármore em estilo jônico com estruturas em alto-relevo e capitéis com rosetas. O templo foi construído, reconstruído e aumentado diversas vezes. Em 356 a.C. um cidadão grego ateou fogo ao templo com a pretensão de tornar-se imortal. Anos mais tarde o templo foi reconstruído e ampliado, tornando-se mais belo e majestoso. Mas em 262 d.C. o templo foi novamente depredado e invadindo pelos godos que saquearam seu mármore. Por fim, o que sobrou do templo foi destruído por uma sucessão de terremotos. Suas ruinas foram descobertas, em 1860, pelo arqueólogo John Cayster que levou seus vestígios para o Museu Britânico em Londres.

5. Mausoléu de Halicarnasso

Ruínas do Mausoléu de Halicarnasso. Foto: Alex Ovchinnikoff / Shutterstock.com

Localizado na Turquia, o Mausoléu de Halicarnasso foi construído em 350 a.C. a mando da rainha Artemísia para servir como monumento funerário para seu esposo, o rei Mausolo, um rei provinciano do império Persa. Esta incrível sepultura havia sido construída em mármore e contava com inúmeros detalhes em ouro, tinha aproximadamente 45 metros de altura e foi projetada pelos arquitetos gregos Satiro e Piris em colaboração com escultores Briáxis, Escopas de Paros, Leocarés e Timóteo. O mausoléu foi construído para ter uma vista panorâmica para a cidade e, ao centro, abrigar os restos mortais do rei numa tumba feita de mármore, medindo um terço da altura do mausoléu. Infelizmente esta majestosa construção foi sendo desmantelada por constantes terremotos, mas resistiu por 16 séculos.

6. Colosso de Rhodes

Construída na Grécia, aproximadamente no século três antes de Cristo, o Colosso de Rhodes era uma estátua de bronze que tinha trinta e três metros de altura e foi feita a fim de homenagear o deus Hélios (deus do Sol) em função da ajuda dada por este na vitória sobre o exército de Demétrio Pollorcetes. O Colosso foi construída pelo escultor Carés de Lindos. Feita em bronze a estátua tinha em uma das mãos uma tocha e o rosto teria sido baseado no rosto de Alexandre Magno. Levou cerca de 12 anos para ser concluída. A estátua que ficava em um porto, permitia que uma embarcação entrasse no porto por debaixo de suas pernas e era tão majestoso que um homem de estatura normal não conseguiria abraçar o polegar da estátua. O Colosso de Rhodes permaneceu em pé durante cerca de cinquenta anos, até que um terremoto devastou a cidade e consequentemente derrubou a estátua que ficou no fundo do mar por muitos anos. Houveram algumas tentativas de resgata-la e reconstruí-la, porém, estas tentativas não foram muito adiante, pois um oráculo teria aconselhado deixar a estátua onde estava. Tempos mais tarde, os árabes que invadiram a cidade venderam suas partes como sucata.

7. Farol de Alexandria

O Farol de Alexandria foi durante muito tempo a mais alta estrutura construída por mãos humanas, com altura que passava dos cem metros, também foi considerado uma das maiores criações técnicas da antiguidade. Construído no Egito, próximo ao porto de Alexandria, por volta do século três antes de Cristo, a enorme torre de mármore servia para guiar as embarcações durante a noite com uma chama e com espelhos que refletiam os raios solares durante o dia. O Farol era visível de uma distância de cinquenta quilômetros. Foi construído pelo arquiteto grego Sóstrato de Cnido a mando de Ptolomeu. Durante os anos em que permaneceu em pé, o Farol de Alexandria resistiu a vários terremotos, mas por volta de 1375 ruiu definitivamente em decorrência de mais tremor de terra. Em 1994, seus restos foram encontrados por mergulhadores.

Arquivado em: Arquitetura, Curiosidades