Papa Pio I

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Pio I foi o décimo papa da história da Igreja Católica.

Nascido em Aquileia, na Itália, no ano 100, Pius Desposyni era filho do 15º Bispo de Jerusalém, Judas. Acredita-se que ele era um dos príncipes antigos aparentados com Jesus Cristo por causa de sua filiação. No entanto, esta era uma questão só interessava aos cristãos, pois, na época em que viveu, o cristianismo era primitivo e sofria com muitas perseguições. Pouco importando informações como essa para os imperadores pagãos. Já para os cristãos, este fato certamente influenciou na escolha de Pio para suceder o Papa Higino. Além disso, Pio jejuou e orou durante três dias voltando suas preces aos fies romanos e a escolha adequada de seu novo pontífice. Sua eleição ocorreu no ano 140.

O Papa Pio I liderou a Igreja Católica durante os reinados de Antonino Pio e Marco Aurélio, dois imperadores romanos não convertidos ao cristianismo. O novo papa enfrentou muitas dificuldades advindas de problemas variados. Pio I enfrentou problemas de cunho religioso com os judeus convertidos e com os hereges de seu tempo. Entre estes estavam os gnósticos, com destaque para Marcião, criador do marcionismo, uma seita religiosa cristã do início do século II que rejeitava que o Antigo Testamento estivesse ultrapassado e fazia oposição entre justiça e amor, lei e evangelho. Pio I até tentou dialogar com esses hereges que defendiam visões mais espiritualizadas dos evangelhos sagrados, mas não houve entendimento. Marcião foi excomungado.

O Papa Pio I foi o criador da tradição da celebração da Páscoa aos domingos. É identificado também como o construtor da igreja Santa Pudenziana, uma das mais antigas de Roma. Seu pontificado foi dedicado a combater as ameaças hereges especialmente propagadas pelos gnósticos. Assim, o décimo papa tentava consolidar a presença e a soberania da Igreja Católica. Mas suas ações não fizeram da religião cristã a predominante no império e, por isso, acredita-se que Pio I tenha sido martirizado, como acontecia comumente nos primeiros séculos do cristianismo.

Pio I permaneceu 15 anos à frente da Igreja Católica e faleceu aos 55 anos de idade, no ano 155. Foi reconhecido mais tarde como santo e é celebrado no dia 11 de julho. Seu sucessor foi o Papa Aniceto.

Fontes:
DUFFY, Eamon. Santos e Pecadores: história dos Papas. São Paulo: Cosac & Naify, 1998.
FISCHER-WOLLPERT, Rudolf. Os Papas e o Papado. Petrópolis: Editora Vozes.
THOMAS, P. C. A Compact History of the Popes. St Paulos BYB, 2007.

Arquivado em: Biografias