Sauropsídeos

Os sauropsídeos formam um grupo com imensa diversidade biológica, incluindo hoje, répteis e aves. A palavra significa faces de lagarto.

Os animais pertencentes ao primeiro grupo de sauropsídeos existentes tinham características físicas muito parecidas com os répteis atuais, como pele rígida e rica em queratina, excretavam ácido através das fezes. Além disso, eles eram considerados animais amniotas (animais com embriões cobertos por uma membrana amniótica), entre outras. Apesar das semelhanças estruturais entre os sauropsídeos extintos e os lagartos atuais, com toda certeza, biologicamente eles eram mais primitivos.

Mesmo com a passagem dos períodos geológicos, do período Carbonífero para o Permiano, a evolução dos sauropsídeos não aconteceu de forma significativa em relação à morfologia do corpo. Ainda durante o período Permiano, uma extinção em massa ocorreu e afetou diretamente a vida dos sauropsídeos, que mesmo após serem dizimados, conseguiram ressurgir e evoluir, mas naquele momento já estavam se tornando outras espécies. Esses animais que vinham surgindo eram considerados os grandes répteis (dinossauros), eram tanto herbívoros quanto carnívoros, e habitavam com domínio a terra e os mares.

Nesse momento de domínio, os sauropsídeos já estavam no período Triássico, seu antigo grupo, os sinapsídeos, que no período Carbonífero eram até então considerados maiores protagonistas no sentido biológico e físico, agora haviam se tornado coadjuvantes e fisicamente menores. Após também serem dizimados por uma grande extinção no período Permiano, eles ressurgiram e evoluíram, mas ambos os grupos seguiram caminhos morfológicos distintos, enquanto os sauropsídeos foram se tornando répteis gigantes, os sinapsídeos se tornaram mamíferos pequenos. E essa situação de domínio por um grupo e omissão pelo outro grupo perdurou até o momento da famosa extinção em massa, que dizimou todos os dinossauros.

Tempo dos acontecimentos

De forma resumida, os sauropsídeos surgiram na Era Paleozoica, entre os períodos Carbonífero e Permiano (355 e 290 milhões de anos atrás). No fim do período Permiano houve uma extinção em massa, quando os sauropsídeos foram dizimados e tiveram de se adaptarem para continuarem vivos. Foi quando os grandes répteis começaram a surgir. O surgimento desses grandes répteis aconteceu na Era Mesozoica, no início do período Triássico, cerca de 250 milhões de anos atrás. Após o período Jurássico, outra grande extinção em massa aconteceu, cerca 130 milhões de anos atrás. Esta colocou fim ao domínio e vida dos grandes répteis e também de grande parte da vida primitiva da época. Já na Era Cenozoica, no período Paleoceno, os sinápsideos, antes omissos durante o domínio dos sauropsídeos, começaram a se desenvolver morfologicamente e dominaram a Terra, período em que se tornaram os grandes mamíferos, 65 milhões de anos atrás.

Hoje ainda estamos na Era Cenozoica e no período Quaternário, e mesmo após tantos milhões de anos, como já dito, atualmente ainda temos descendentes dos sauropsídeos vivos, entre eles, tartarugas, crocodilos, lagartos, falcões, harpias, etc.

Referências
http://palaeos.com/vertebrates/amniota/sauropsida.html
https://en.wikipedia.org/wiki/Sauropsida

Arquivado em: Cordados