Angioma

Graduação em Biologia (CUFSA, 2010)
Especialização/MBA em Análises Clínicas (Uninove, 2012)

Angioma ou hemangioma é um tipo de tumor benigno, que surge a partir de uma proliferação anormal de vasos sanguíneos e em decorrência ocorre uma aglomeração dos mesmos. Essa condição é comumente referida como uma marca de nascença.

Normalmente, o angioma surge na pele, mas também pode acometer outras regiões como órgãos internos incluindo o fígado, cérebro, trato gastrointestinal, entre outros. Nesses casos podem ocorrer complicações mais graves. As lesões variam de tamanho, cor e forma.

Até o momento não existem causas estabelecidas para o desenvolvimento do angioma, no entanto, algumas observações referem que o surgimento é mais comum em mulheres, bebês prematuros, que pode ser devido a vascularização anormal do embrião, e em crianças brancas, porém, os diferentes tipos diferentes de angiomas são ligados a causas diferentes.

O tipo mais comum de angioma é o rubi, que também é conhecido como hemangioma senil ou angioma senil e surge em pessoas na faixa dos de 30 a 40 anos, acometendo igualmente homens e mulheres, sendo a lesão encontrada principalmente no alto do tronco, braços e no couro cabeludo e pode se apresentar como uma pequena mancha ou uma bolinha vermelha que tende a aumentar conforme o tempo.

O angioma plano, também conhecido como mancha em vinho do porto é o mais comum em crianças e pode ser congênito, ou seja, a criança já nasce com a condição, e a lesão apresenta a fase de crescimento intrauterina, como se fosse uma marca de nascença.

O angioma tuberoso normalmente se desenvolve após o nascimento e prolifera-se. O seu primeiro sinal pode ser uma mancha rósea ou um pequeno ponto vermelho na pele.

O angioma cavernoso possui uma coloração diferenciada, arroxeada e compromete a pele e os tecidos, como músculos, ossos e órgãos. Também pode já estar presente ao nascimento, sendo decorrente de má formação congênita e costuma progredir conforme a idade.

Uma nova classificação geral dos hemangiomas está sendo utilizada e os angiomas planos agora são denominados de malformação vascular capilar ou mancha vinho do porto e os angiomas tuberoso, cavernoso, racemoso, são denominados hemangioma da infância.

Sintomas

Os sintomas podem ser variados e dependem da classificação do angioma. Podem incluir, manchas vermelhas superficiais, manchas em alto relevo e ainda machas azuladas.

Diagnóstico

O diagnóstico dos angiomas normalmente envolve a avaliação clínica, com base na aparência da lesão.

O médico avalia as machas, que podem ser de nascença, no exame de rotina, e caso suspeite, avalia o angioma com mais cautela. Normalmente o diagnóstico é realizado pelo dermatologista.

É importante avaliar se a lesão é de nascença ou surgiu após, e as caraterísticas das lesões, para identificar qual o tipo de angioma em questão.

Exames de imagem também podem ser utilizados, como a ressonância magnética ou angiografia, que é o raio-X dos vasos sanguíneos e o ultrassom.

Em alguns casos mais complexos é sugerida a biópsia, que é a retirada de uma pequena amostra da lesão para confirmar o diagnóstico.

Tratamento

O tratamento do angioma pode ser de várias formas, mas na maioria dos casos não é necessária uma abordagem terapêutica, sendo apenas o acompanhamento médico importante. Em alguns casos de angiomas infantis, a lesão regride sozinha.

Alguns dos procedimentos para a remoção da lesão incluem a eletrocauterização, que queima a lesão; a aplicação de pomadas e medicações tópicas; a terapia com laser, que é bastante utilizada; a criocirurgia, que congela a lesão e a elimina, com a utilização de nitrogênio líquido e em alguns casos mais complicados, a cirurgia para a remoção. A cirurgia plástica costuma ser realizada em casos onde o angioma está obstruindo alguma região do corpo, por exemplo, os olhos, prejudicando a visão ou quando está propenso a sangramentos.

O tratamento também é utilizado por razões estéticas, onde o paciente se sente incomodado com a mancha, principalmente na face.

Os angiomas respondem bem ao tratamento, quando necessário, e não costumam apresentar grandes complicações, porém, em alguns casos mais graves podem surgir ulcerações, desfiguração e comprometimento de órgãos vitais.

Leia também:

Fontes:

https://opas.org.br/o-que-e-angioma-quais-os-tipos-e-tratamentos/

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/sintomas-doencas-tratamentos/hemangioma-plano/

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962004000100010

https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/2012/12/Hemangiomas-o-que-o-pediatra-precisa-saber-2015.pdf

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Neoplasias