Infarto do miocárdio

No sistema cardiovascular, as artérias coronárias são responsáveis pela irrigação sanguínea do músculo cardíaco, abastecendo-o de oxigênio e nutrientes. Quando, por algum motivo, uma ou mais artérias coronárias são obstruídas, há a interrupção do fornecimento de sangue para o músculo cardíaco, provocando o infarto do miocárdio, também conhecido como ataque cardíaco.

O bloqueio do fluxo sanguíneo pode ser ocasionado pela formação de coágulos no sangue, trombos ou placas de gordura nas paredes das artérias. Sem irrigação, as células musculares do coração necrosam (morrem) dentro de poucos minutos, devido à falta de oxigênio.

Se uma pequena região do coração for afetada pelo infarto, a lesão é cicatrizada com a substituição de células mortas por tecido conjuntivo, permitindo que o coração continue sua atividade. Porém, se uma grande parte do coração for atingida pelo infarto, a emissão de sinais elétricos produzida pelo marca-passo (um aglomerado de células musculares) pode ser interrompida e os batimentos cardíacos deixam de acontecer.

A principal característica do infarto é o aparecimento de sinas e sintomas repentinos. O indivíduo sente dores agudas e súbitas no lado esquerdo do peito, sintoma mais predominante dessa doença carciovascular. Além disso, pode ocorrer dormência e formigamento no ombro esquerdo, sensação de azia, náuseas, tonturas, cansaço, dor de cabeça, palidez do rosto e sudorese excessiva.

Ao serem identificados os primeiros sinais de um quadro de infarto, é preciso buscar atendimento médico imediatamente. A pessoa que está sofrendo o ataque cardíaco deve se sentar, procurar manter a calma, evitar esforços físicos mínimos, como andar e dirigir um veículo, suas roupas e acessórios precisam ser afrouxados e seu corpo deve ser aquecido. Caso ela desmaie, é preciso que alguém verifique a pulsação e a respiração e, na ausência desses sinais vitais, deve-se começar imediatamente a fazer massagem cardíaca e ventilação (respiração boca a boca) até que a pessoa seja atendida por profissionais.

O infarto é uma doença multifatorial, isto é, causada por vários fatores. Fumo, obesidade, altos níveis de colesterol no sangue, sedentarismo, estresse, depressão, hipertensão arterial, menopausa, idade e a predisposição genética são os principais fatores de risco associados à doença. Assim, tanto o infarto quanto outras doenças cardiovasculares podem ser prevenidas com a manutenção de hábitos saudáveis de vida:

  • Seguir uma dieta balanceada, livre de gorduras, alimentos industrializados, condimentos, fast-foods.
  • Praticar exercícios físicos moderada e regularmente.
  • Banir o consumo de cigarros e bebidas alcoólicas.
  • Manter o peso corporal compatível com a altura.
  • Evitar situações de estresse.
  • Checar a pressão arterial e fazer exames médicos de rotina, em especial, após os 40 anos de idade.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, estima-se que, hoje, aproximadamente 300 mil pessoas sejam acometidas pelo infarto no Brasil por ano. E deste número, cerca de 80 mil pessoas morrem por infarto anualmente.

Referências:
http://drauziovarella.com.br/dependencia-quimica/tabagismo/infarto/
http://drauziovarella.com.br/audios-videos/panorama-do-infarto-no-brasil/
http://www.coracaoalerta.com.br/noticias/dados-do-infarto-no-brasil/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.