Clima tropical de altitude

Graduanda em Geografia (IFSP)
Graduada em Biologia (UNICSUL, 2018)

Publicado em 28/01/2022
Ouça este artigo:

O clima Tropical de Altitude está presente nas regiões entre o Trópico de Câncer e o Trópico de Capricórnio, no Brasil abrange a região sudeste e áreas mais elevadas, tendo a temperatura média entre 17°C e 22°C, com uma quantidade de chuvas de até 1500 mm ao ano. Esse clima é classificado como um clima de transição entre os climas tropical e subtropical.

As altitudes acima de 500 metros influenciam nas condições do clima, que possui duas estações bem definidas, com chuvas concentradas no verão e um inverno seco. Em regiões elevadas, ou serranas, acima de 800 metros, como São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, o clima tropical de altitude torna-se predominante, tendo um alto índice pluviométrico no verão e não recebendo influência direta do Oceano Atlântico, por conta de sua altitude. A formação da Serra da Mantiqueira é a que mais se destaca nesse tipo climático no Brasil.

No clima tropical de altitude, quanto maior a altitude, mais rarefeito é o ar e menor a incidência de raios solares, logo as temperaturas nessas áreas são menores, chegando cair a 1°C a cada 200 metros. Assim, as temperaturas médias anuais são baixas. Dependendo da presença de massas de ar polares e a altitude, podem ocorrer invernos rigoroso nessas regiões. As cidades de Campos do Jordão e Poços de Caldas são exemplos de regiões muito frias no inverno, atraindo milhares de turistas.

Com grandes quantidades de chuvas pelas regiões serranas, a consequência são os deslocamentos de encostas, enchentes e assoreamentos, que causam muitos danos às cidades. Estudos feitos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, revela que a região sudeste e sul do Brasil concentram a maior parte das áreas suscetíveis a deslizamentos, causados principalmente pela pluviosidade em regiões geológicas com grande declividade, se encaixando a região do clima tropical de altitude.

Os deslizamentos de terra tem sido um dos principais riscos naturais do país, com grandes consequências, tanto quanto ambientalmente, como no âmbito social, político e econômico, sendo necessário, pelo Poder Público, a criação e desenvolvimentos de projetos de mapeamento de risco de deslizamento de terra, porém atualmente esses projetos se limitam a poucos resultados de melhorias.

Bibliografia:

https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/rbclima/article/view/14118/7351#

OLIC, Nelson B., SILVA, Angela C. da, LAZONO, Ruy. Vereda digital geografia. 1.ed. São Paulo: Moderna, 2012.

ADAS, Melhem, ADAS, Sérgio. Expedições geográficas, 6º ano. 1.ed. São Paulo Moderna, 2011.

TERRA, Lygia, ARAUJO, Regina, GUIMARÃES, Raul B. Conexões: estudos de geografia e do Brasil. 3.ed. São Paulo: Moderna, 2015.

https://periodicos.ufam.edu.br/index.php/revistageonorte/article/view/2169/2037

https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-11/regioes-sudeste-e-sul-concentram-areas-com-risco-de-deslizamento

https://pt.climate-data.org/america-do-sul/brasil/sao-paulo/campos-do-jordao-32625/

Arquivado em: Clima