Serra da Mantiqueira

Graduanda em Geografia (IFSP)
Graduada em Biologia (UNICSUL, 2018)

Publicado em 25/01/2022
Ouça este artigo:

A região da Serra da Mantiqueira é uma cadeia montanhosa formada por escarpas elevadas e morros localizada no Sudeste do Brasil, abrange as divisas dos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo e é dividida em duas áreas, Serra da Mantiqueira Oriental e Serra da Mantiqueira Ocidental.

A serra guarda sete dos dez mais altos picos do Brasil, de 1.700–2400m, é composta pela Mata Atlântica, que junto com a Serra do Mar, representa o bioma mais frio e úmido do leste da América do Sul, ocasionando em mudanças nas formações da flora. Devido a isso abriga grande número de espécies endêmicas, organismos específicos desse ecossistema. Também garante recursos hídricos para todos os estados em seu entorno por causa das chuvas orográficas que acontecem em regiões montanhosas, assim há maiores amplitudes pluviométricas que alimentam nascentes, rios e as bacias do Paraíba do Sul e Paraná, responsáveis pelo abastecimento das regiões Sul e Sudeste.

Serra da Mantiqueira, localizada no domínio morfoclimático Mares de Morros. Foto: Leonidas Santana / Shutterstock.com

A Serra da Mantiqueira nasce a partir da epirogênese, resultado dos movimentos das placas tectônicas, e faz parte dos escudos cristalinos, assim a serra é formada principalmente por rochas magmáticas intrusivas e metamórficas. Devida a alta declividade, os solos da serra são litólicos, com horizontes simples, um solo “fino” em contato com a rocha matriz, resultado do ângulo e do escoamento da água, que também cria diversos cursos d’água importantes para essa região.

Com a diminuição da declividade, o relevo mais plano permite o aprofundamento dos solos, permitindo também a desenvolvimento de outros tipos de flora. A Floresta Ombrófila Mista é a flora característica dessa região por conta do clima quente e úmido, sem períodos longos de seca. Assim essa característica natural tem uma extrema importância para o clima e o regime de chuvas, já que fornece água para parte da região Sudeste e abriga remanescentes da Floresta Atlântica, que por sua parte, por meio da transpiração, contribui para os regimes de chuva.

A região da Serra da Mantiqueira se tornou uma Área de Importância Biológica Especial já que abriga um elevado nível de endemismos de plantas, anfíbios e répteis, junto com uma diversidade de aves e pequenos mamíferos. Em 1985, para proteger os remanescentes dessa Floresta Atlântica e as cadeias montanhosas do Brasil, a região virou uma Área de Preservação Ambiental, estabelecida por meio do Decreto nº 91304.

Pedra do Baú, na Serra da Mantiqueira. Foto: Klaus Balzano / Shutterstock.com

Ao longo do desenvolvimento da região, a ocupação agrícola e pecuária eliminou grande parte da Mata Atlântica, surgiram as pastagens e intensas monoculturas de banana, milho e hortaliças com técnicas e métodos impróprios que resultaram em problemas para esse meio ambiente, surgiram as queimadas, desmatamentos, cultivos agrícolas em encostas e pastagens extensivas alterando a paisagem da região.

Desse modo, a atividade antrópica eliminou a mata em torno nascentes e margens, vegetação de extrema importação para proteção dos corpos d’água e para o ciclo da água. Esses processos aumentam o risco de escorregamento de grandes volumes de terras, perigo para as populações que moram perto dos morros. Outro problema gerado pela urbanização descontrolada, as construções urbanas em zonas de risco que são um perigo para vida humana e para o meio ambiente, já que essas construções também desmatam as florestas e por falta de saneamento básico, poluem os corpos d’agua. Assim o Estado também criou o Programa Conservador da Mantiqueira, uma iniciativa que atua em 284 municípios da região sudeste, nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, que tenta manter e restaurar a floresta original da Serra da Mantiqueira.

Bibliografia:

https://uc.socioambiental.org/pt-br/arp/886

https://www.tnc.org.br/o-que-fazemos/nossas-iniciativas/mantiqueira/

https://www.scielo.br/j/rod/a/KGPx3DvKtKBkR43Wpqnzs6F/?format=pdf&lang=pt

https://www.researchgate.net/profile/Bruno-De-Campos-2/publication/307553546_Local_circulations_produced_by_topography_in_the_Paraiba_Valley_and_Mantiqueira_Mountains_a_study_case_for_the_period_between_the_16_th_and_22_nd_of_August_2010/links/57d19ad408ae6399a38b8158/Local-circulations-produced-by-topography-in-the-Paraiba-Valley-and-Mantiqueira-Mountains-a-study-case-for-the-period-between-the-16-th-and-22-nd-of-August-2010.pdf

https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74094/77736

https://www.redalyc.org/pdf/928/92830111.pdf

https://www.scielo.br/j/rod/a/88F6fgWqjSnDqbvZdjkkkMG/?lang=pt

Arquivado em: Brasil