Guiana

Licenciada em Geografia (UFG, 2003)

A Guiana – também conhecida como Guiana Inglesa ou Guiana Britânica – é um país da América do Sul. Sua capital é Georgetown e o idioma oficial é a língua inglesa, embora outros idiomas e dialetos de origem caribenha sejam utilizados no cotidiano por uma parcela da população. É o único país da América do Sul que possui como língua oficial o inglês.

Localização

A Guiana está localizada totalmente ao norte da linha do Equador. Faz fronteira ao sul e sudoeste com o Brasil, na sua porção ocidental, limita-se com o Suriname e a noroeste com a Venezuela. Já na porção norte e nordeste, o país faz limite com o Oceano Atlântico. Seu território tem uma área de 214,969 quilômetros quadrados (km2).

Mapa da Guiana. Fonte: CIA

População

A Guiana possui 777.859 habitantes, desigualmente distribuídos em seu território. A maior concentração populacional encontra-se em uma faixa na porção norte do país, próxima ao Atlântico. É nessa região que se encontra a capital Georgetown. A densidade demográfica média do país é de 3,5 habitantes por quilômetro quadrado (hab/km2).

A população da capital, conta com uma divisão étnica importante. Uma maioria de origem indiana e uma parcela um pouco menor de pessoas de origem africana, protagonizam uma rivalidade cultural e socioeconômica que gera conflitos e desigualdade social. Além desses dois grupos, a população é constituída também por uma pequena parcela de pessoas mestiças, de origem indígena, europeia e chinesa.

O IDH – Índice de Desenvolvimento Humano da Guiana é de 0,654 (dados de 2017) e está classificado como IDH médio. E a renda per capita do guianense está em torno de 5.728 dólares. A moeda do país é o Dólar Guianense (GYD).

Prédio da Prefeitura de Georgetown, a Capital da Guiana. Foto: Victor1153 / Shutterstock.com

História

A área que hoje é o território do país, foi ocupada por exploradores portugueses e espanhóis no início do século XVI, e mais a tarde, tornou-se objeto de disputa entre Inglaterra, França e Holanda. Em 1814, converteu-se colônia da Inglaterra. Apenas em 1966, tornou-se oficialmente um país independente. Em 1970 proclamou-se o que hoje é a República Cooperativa da Guiana.

Economia

A base da economia guianense está concentrada no setor primário, em especial nas atividades agropecuárias. A produção de arroz e açúcar têm destaque na agricultura do país e são os produtos mais exportados. O cultivo do arroz é resultado da chegada dos indus, por volta de 1850, que se dedicam até os dias de hoje a este cultivo. A indústria açucareira também é significativa para a economia da Guiana.

As atividades extrativistas, especialmente a mineração do ouro e de pedras preciosas, como o diamante têm experimentado um crescimento significativo nos últimos anos.

Aspectos físico-naturais

Relevo da Guiana

A feição do relevo guianense é constituído essencialmente por três estruturas. Uma extensa faixa ao norte do país, composta por planícies litorâneas, onde ocorre a maior parte do cultivo de cana-de-açúcar. Uma sequência de planaltos, que também percorre o país de leste a oeste em sua porção central e sul. Há também uma região montanhosa, que conta com as altitudes mais elevadas do país é composta por planaltos menos desgastados.

Vegetação da Guiana

A floresta amazônica alcança este país e é responsável pela maior parte da cobertura vegetal da Guiana. A exploração da madeira nativa, no entanto, tem diminuído consideravelmente a permanência dessa vegetação. Apresenta também áreas de savana, nas porções onde encontram-se os planaltos mais elevados. Na costa, é comum encontrar extensas áreas cobertas por vegetação pantanosa.

Clima da Guiana

Em razão de sua localização, próxima à linha do Equador, a Guiana, assim como os demais países dessa região, a Guiana possui o Clima Equatorial, caracterizado pela alta umidade e temperaturas elevadas durante todo o ano. Apresenta baixa variação entre as temperaturas máxima e mínima e os índices pluviométricos são elevados.

Hidrografia da Guiana

Os rios da Guiana são perenes e sofrem influência do clima úmido. Nas regiões de planalto, conta com belíssimas cachoeiras, sendo as mais famosas a Murrai, J. Barrows e Estannime. Os principais rios são Corentine, Berbice, Demerara e Essequibe.

Fontes:

A História do Norte da América do Sul: Brasil, Guianas e Suriname. Disponível em: http://www.snh2013.anpuh.org/resources/anais/27/1364339527_ARQUIVO_Textocompleto.pdf

GUIANA E SURINAME: UMA OUTRA AMÉRICA DO SUL. Disponível em: https://www.ufrgs.br/nerint/folder/artigos/artigo2.pdf

MORAES, Paulo Roberto. Geografia geral e do Brasil. São Paulo, Editora Harbra, 2ed. 2003.

Arquivado em: América