Relevo do Paraná

Mestre em Educação, Comunicação e Tecnologia (UDESC, 2016)
Graduada em Geografia (UDESC, 2014)

O estado do Paraná possui terras altas, sendo que 52% das terras estão acima de 600m e 89% acima de 300m. O relevo do Paraná é marcado por uma faixa litorânea pequena seguida no sentido Leste-Oeste pelo aparecimento de um planalto inclinado para o sentido oeste. Podemos dividir as terras do estado em 5 grandes regiões de acordo com o seu relevo. As regiões são o litoral, a serra do mar, o primeiro planalto, o segundo planalto e o terceiro planalto.

Relevo do Estado do Paraná. Fonte: Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (IPARDES).

A região do litoral é caracterizada pelas planícies sedimentares criadas pelo rebaixamento de uma falha do próprio planalto durante o período quaternário da era cenozoica. Essa planície apresenta como características tanto sedimentos marinhos como continentais apresentando ainda afloramentos cristalinos de pequena altitude. Esses sedimentos se apresentam principalmente na forma de areia, argila e pequenos seixos, estes últimos associados ao sopé das serra do mar. Podemos observar também a formação de dunas costeiras.

A serra do mar nada mais é do que a borda do planalto cristalino brasileiro formado na era pré cambriana e dominado por granitos e gnaisses, rocha vulcânica e metamórfica, respectivamente. É na serra do mar que temos as maiores altitudes do Paraná incluindo ai o pico Paraná, maior altitude do estado com 1.877 m. Uma outra curiosidade referente a serra do mar paranaense é que ela apresenta duas escarpas, ao contrário dos vizinhos Santa Catarina e São Paulo: uma no sentido leste, 900 m em média, e uma no sentido oeste, 100 m em média.

A oeste encontramos o planalto cristalino, do qual a serra do mar é borda, também conhecido como primeiro planalto ou planalto de Curitiba. Como o próprio nome diz nesse planalto se localiza a capital do estado, Curitiba, e se estende desde a serra do mar até a escarpa devoniana. Pode ser dividido em duas regiões sul e norte. A região sul apresenta relevo mais suave com altitude entre 850 e 950 metros, tem uma formação geológica dominada por calcário e gnaisses possuindo uma origem cristalina pré cambriana. A região norte é mais acidentada onde predomina rochas como mármore, quartzitos, dolomitos, filitos e calcário.

O planalto de Ponta Grossa, dos Campos Gerais ou segundo planalto é formado principalmente por arenitos e outras rochas sedimentares. Vale notar que a partir do segundo planalto adentramos a Bacia Sedimentar do Paraná que se estende desde o Mato Grosso até o Rio Grande do Sul. Essas rochas sedimentares se formaram no Paleozoico e possuem grande parte da riqueza energética do Paraná com a presença de folhelho xistobetuminosos, urânio e carvão mineral. O segundo planalto apresenta um relevo suave com inclinação em direção ao oeste indo de 1200 metros, no encontro com a escarpa devoniana a leste, a 500 metros a oeste, na base da serra geral. Uma formação interessante é a formação do arenito vila velha onde o vento associado com a fraca resistência do arenito esculpiu diversas formas na rocha.

A última estrutura do relevo paranaense é o planalto basáltico ou terceiro planalto. Esse planalto formado por sucessivos derramamentos vulcânicos é a maior unidade de relevo do Paraná cobrindo cerca de 2/3 da área do estado. Nele encontramos formações vulcânicas além de arenitos do paleozoico. Esse planalto apresento um relevo suave e inclinado para o oeste indo de 1200 metros a leste até 300 metros a oeste. É nesse planalto que se encontra a terra roxa, solo extremamente fértil resultante da erosão das rochas vulcânicas. Apesar de não apresentar na superfície tantas rochas sedimentares o planalto basáltico faz parte da bacia sedimentar do Paraná.

Referencial Bibliográfico:

http://www.geografia.seed.pr.gov.br/modules/galeria/detalhe.php?foto=1572&evento=5

https://marianaplorenzo.com/2010/10/09/geomorfologia-relevos-do-parana/

http://www.ugb.org.br/artigos/SEPARATAS_RBG_Ano_7_n_2_2006/RBG_Ano_7_n_2_2006_03_12.pdf

https://geovest.files.wordpress.com/2012/09/parana.pdf

http://www.mma.gov.br/estruturas/sqa_sigercom/_arquivos/pr_erosao.pdf

http://www.labogef.iesa.ufg.br/links/sinageo/articles/442.pdf

Arquivado em: Geologia, Paraná