Pré-Cambriano

Doutorado em Geociências (USP, 2015)
Mestrado em Geologia Sedimentar (UNISINOS, 2008)
Graduação em Ciências Biológicas (UNISINOS, 2006)

O Pré-Cambriano é um Super Éon, correspondente ao período de tempo desde a formação da Terra (~ 4.6 bilhões de anos – b.a.) até o início do Período Cambriano (~542 milhões de anos – m.a.). Inclui todos os acontecimentos que ocorreram na Terra antes do Éon Fanerozoico, ou seja, tudo o que ocorreu antes da existência da vida na Terra. Isso corresponde a 85% da idade da Terra. Os outros 15%, correspondem ao Éon Fanerozoico.

As gigantescas modificações ao longo do tempo que alteraram constantemente as características físicas e químicas do Planeta Terra desde a sua origem, aconteceram durante todo o Pré-Cambriano, como as diferenciações que ocorreram na crosta terrestre, as intensas atividades vulcânicas, a formação dos oceanos primitivos, a constante formação de continentes ou das placas tectônicas, das rochas, dos minerais, a oxigenação da Terra, as alterações químicas que ocorreram nos oceanos e a origem da vida.

Representação artística da Terra durante a sua formação no Pré-Cambriano. Vulcões, lava e tempestades dominavam a paisagem. Ilustração: diversepixel / Shutterstock.com

O registro fóssil relativo ao Pré-Cambriano é muito mais pobre do que no Fanerozoico, e esses fósseis possuem uso estratigráfico limitado (e.g. os estromatólitos). Um dos principais motivos para não haver registro fóssil pré-cambriano é que as rochas pré-cambrianas que estão expostas passaram por vários estágios de metamorfismo, ou ainda, que foram destruídas pelo intemperismo e erosão.

O Super Éon Pré-Cambriano é dividido em 3 éons: o Hadeano (~4.6-4 b.a.), o Arqueano (4-2.5 b.a.), e o Proterozoico (2.5 b.a.-541 m.a.).

Éon Hadeano

O Éon Hadeano é o período correspondente desde a origem da Terra, de ~4.6 até 4 b.a. Apesar de a UICG (União Internacional das Ciências Geológicas) não reconhecer esse éon, englobando o intervalo de tempo a que ele se refere ao Arqueano, a divisão Hadeano/Arqueano é amplamente aceita por diversos autores. O Hadeano iniciou com a formação dos planetas do nosso sistema solar e terminou quando se formaram as primeiras rochas. Uma das teorias mais aceitas, é que a Terra tenha se formado a partir da fusão de materiais em órbita em torno do sol, há aproximadamente 4.5 b.a., e tenha sido impactada após sua formação, por um corpo celeste igual ao tamanho de Marte, projetando o material que deu origem a Lua (hipótese do grande impacto). Na Austrália, foi datado um fragmento do mineral zircão, recentemente, revelando idade de 4.3 a 4.4 b.a., representando o mineral terrestre mais antigo já descoberto. Isso confirma que a crosta terrestre já existia a 4.400 b.a.

Éon Arqueano

O Éon Arqueano é o período correspondente a ~4 até 2.5 b.a. Foi durante esse éon que os sistemas do geodínamo, da tectônica de placas e do clima foram estabelecidos, tornando a Terra um planeta inteiramente diferenciado. Os fósseis mais antigos datam deste éon, representados por organismos procariontes (organismos unicelulares primitivos). As cianobactérias formavam “tapetes” que ficaram preservados até hoje, que são os estromatólitos. Os estromatólitos mais antigos registrados até o momento apresentam em torno de 3.5 b.a. O Arqueano é dividido em 4 eras: o Eoarqueano (3.85 - 3.6 b.a.); Paleoarqueano (3.6-3.2 b.a.), quando surgiram os primeiros continentes, como o Vaalbara, que se formou no final desta era; o Mesoarqueano (3.2-2.8 b.a.), os estromatólitos proliferavam na Terra e o supercontinente Vaalbara começou a se partir no final desta era; e o Neoarqueano (2.8-2.5 b.a.), quando a tectônica de placas pode ter sido bastante similar à atual, existência de água predominantemente líquida e bacias oceânicas profundas, originando formações ferríferas bandadas, entre outros depósitos.

Éon Proterozoico

Por fim, o Éon Proterozoico (do grego próteros = anterior, e zóikos = vida) é o período que corresponde a 2.5 b.a. a 542 m.a. Nesse éon, as interações do sistema de tectônica de placas e do clima eram semelhantes às das eras posteriores. O oxigênio se acumulou na litosfera, formando principalmente depósitos de óxidos de ferro. Surgem os primeiros eucariontes, as algas verdes, e as algas vermelhas. Os continentes estavam unidos em um único continente chamado Rodínia, que se fragmentou ao final deste éon, formando o Laurentia e Gondwana. O Proterozoico é dividido em 3 eras: o Paleoproterozoico (2.5 - 1.6 b.a.), dividido em 4 períodos. Nessa era, surgiram os primeiros eucariontes; o Mesoproterozoico (1.6-1.0 b.a), dividido em 3 períodos. Nessa era, formou-se o mega continente Rodínia; e o Neoproterozoico (1.0 b.a. - 542 m.a.), dividido em 3 períodos. Nessa era, tem fim ao Éon Proterozoico, com o último período, o Ediacarano, muito conhecido devido à ocorrência da Fauna ou Biota de Ediacara em suas rochas de aproximadamente 600 m.a.. Essa fauna consiste em uma diversidade de delicadas impressões nas rochas, de animais de corpo mole, multicelulares, marinhos, como conchas, placas mineralizadas ou exoesqueletos. A Fauna de Ediacara foi inicialmente encontrada em Ediacara, sul da Austrália, e atualmente existem afloramentos contendo a fauna em outros lugares do mundo, como no Canadá.

Referências

1. TEIXEIRA, W.; FAIRCHILD, T.; TOLEDO, M.C.M. & TAIOLI, F. (2007). Decifrando a Terra. 2ª edição, São Paulo, SP; Companhia Editora Nacional, 623p.
2. PRESS, F.; SIEVER, R.; GROTZINGER, J. e JORDAN, T.H. (2013). Para entender a Terra. Tradução R. Menegat (coord.), 6ª edição, Porto Alegre, RS; Bookman, 656p.

3. WICANDER, R.; MONROE, J.S. (2009). Fundamentos de Geologia. 1ª edição, São Paulo, SP; Cengage Learning, 507p.

4. http://www.cprm.gov.br/publique/Redes-Institucionais/Rede-de-Bibliotecas---Rede-Ametista/Canal-Escola/Breve-Historia-da-Terra-1094.html

5. https://www.rc.unesp.br/museupaleonto/precambriano.htm

Arquivado em: Geografia, Geologia