Genocídio bósnio

Mestra em História (UFRJ, 2018)
Graduada em História (UFRJ, 2016)

O termo genocídio bósnio costuma ser utilizado para se referir a alguns eventos do período da dissolução ou desintegração do Estado da Iuguslávia, iniciado a partir da década de 1980 e atingindo o seu auge durante a Guerra da Bósnia, ocorrida no início da década de 1990. Destaca-se, neste sentido, o massacre de Srebrenica, que vitimou mais de 8.000 pessoas.

Conhecida mais formalmente como Bósnia e Herzegovina em referência à parte sul do território, a Bósnia foi um território inicialmente dominado pelo Império Romano, usufruindo um curto período de independência antes de ser conquistada pelos turcos otomanos. A partir daí, a região passou a ser cultural e religiosamente influenciada pelo islamismo, mesmo diante de todas as mudanças que alteraram sua condição na geopolítica da Europa cristã durante os séculos seguintes.

No início da década de 1980, morreu o homem cujo governo vitalício possibilitara a união política-militar entre bósnios, sérvios, croatas e eslovenos: o marechal Josip Broz Tito, que liderara a resistência contra os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Este falecimento reacendeu todos os ressentimentos históricos e tensões religiosas entre os diferentes grupos, que explodiram em 1992, quando a declaração de independência da Bósnia perante a Iuguslávia gerou uma declaração de guerra da Sérvia.

Mapa da Antiga Iugoslávia e suas regiões. Ilustração: pablofdezr / Shutterstock.com [adaptado]

Apesar de, anteriormente, Eslovênia e Croácia já terem declarado sua independência, a declaração de guerra da Sérvia foi dirigida apenas à Bósnia, mesmo que a União Europeia tenha aceito a autonomia da região. O conflito seria motivado oficialmente em resposta ao pedido de ajuda da minoria sérvia ao poder central. Liderada pelos presidentes Radovan Karadzic e Slobodan Milosevic, a intervenção se iniciou em abril de 1992 e se prolongou por quase quatro anos. Pouco depois do começo da guerra, tropas que somavam quase 200.000 soldados cercaram a capital bósnia, Saravejo, e estabeleceram um cerco que duraria 43 meses.

Sob o comando direto do general Ratko Mladic, o exército conseguiria dominar a maior parte da Bósnia, tentando tomar Saravejo e montar novo cerco no enclave de Srebrenica, que naquele momento estava sob a proteção das Nações Unidas. Mladic falava por boa parte da liderança sérvia quando declarou estar no processo de “cumprir o destino da nação sérvia” e estabelecer uma grande República Sérvia pura quando passou a dar ordens para bombardear incessantemente Saravejo para forçar sua rendição e, mais tarde, estabelecer que os atiradores abatessem tudo o que se movia. Estupros sistemáticos de boa parte da população feminina também ocorreram, incluindo de meninas jovens. O processo de limpeza étnica continuou após a invasão de Srebrenica, ocorrida em julho de 1995. Em poucos dias, milhares de meninos e homens seriam sumariamente executados, escondidos depois em valas comuns. Eles se somariam às mais de 200.000 vítimas e 2,5 milhões de refugiados daquela que foi uma das guerras mais sangrentas do século XXI.

Pouco depois, a ameaça da queda da capital sérvia, Belgrado, colocaria fim às hostilidades por meio do Acordo de Dayton. Radovan Karadzic, conhecido como o “Carniceiro dos Balcãs”, foi submetido à um longo julgamento que o condenou a 40 anos de prisão. Já Slobodan Milosevic só foi processado depois do fim de seu mandato presidencial, em 2001, mas foi encontrado morto em sua cela antes do fim do julgamento. Ratko Mladic, por sua vez, embora tenha sido processado junto com Radovan Karadzic, só seria preso em 2011, após passar vários anos foragido, e passou a cumprir sua pena de prisão perpétua. Embora haja consenso que a Sérvia descumpriu várias leis internacionais pelo ocorrido em Saravejo e Srebrenica, porém, até hoje a classificação de genocídio é considerada controversa.

Leia também:

Bibliografia:

https://www.dw.com/pt-br/iugosl%C3%A1via-um-estado-fadado-a-fracassar/a-46560595

https://www.portalsaofrancisco.com.br/turismo/bosnia-e-herzegovina

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-42079338

https://extra.globo.com/noticias/viagem-e-turismo/rosas-de-sarajevo-expoem-as-cicatrizes-deixadas-pela-guerra-3307677.html

https://oglobo.globo.com/mundo/entenda-que-foi-genocidio-de-srebrenica-durante-guerra-da-bosnia-22096838

https://extra.globo.com/noticias/viagem-e-turismo/rosas-de-sarajevo-expoem-as-cicatrizes-deixadas-pela-guerra-3307677.html

https://top10mais.org/top-10-genocidios-mais-brutais-da-historia/

https://www.britannica.com/biography/Slobodan-Milosevic

https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/03/160324_perfil_kardzic_condenado_rm

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/03/ex-lider-servio-bosnio-e-condenado-40-anos-de-prisao-por-genocidio.html