Guerra do Peloponeso

Mestrado em História (UDESC, 2012)
Graduação em História (UDESC, 2009)

A Guerra do Peloponeso foi um conflito ocorrido entre as duas principais alianças da Grécia Antiga: a Liga de Delos e a Liga do Peloponeso, comandadas respectivamente por Atenas e Esparta, entre os anos de 431 e 404 a.C. Conhecer sua história é importante não só pelo conflito e si mas, principalmente porque por meio dele é possível compreender as disputas de poder entre as cidades-estado. Foi sobre esta guerra que um dos primeiros historiadores do mundo escreveu. Tucídides procurou narrar em “História da Guerra do Peloponeso” o conflito e seus principais embates.

Para compreender o que culminou na Guerra do Peloponeso é preciso recuar um pouco mais no tempo. Em 479 a.C. Atenas venceu os Persas que tentavam invadir a região. Para combater a presença persa no Mediterrâneo foi formada a Liga de Delos, com objetivos claros de promover a segurança do território grego. A Liga de Delos foi a base da concentração de poder por parte de Atenas. Inicialmente o centro da Liga estava localizado em Delos, onde eram recolhidos os tributos e onde, portanto, ficava guardada toda a riqueza da liga. Com a transferência do centro – e de sua riqueza - para Atenas houve um florescimento da cidade: obras públicas e projetos arquitetônicos foram levados a cabo para embelezar a cidade.

Como se sabe o que se viu em Atenas foi, não só o seu florescimento como também o início de uma nova forma de governo: a democracia ateniense. Com ela houve uma nova definição do que era ser cidadão. Em Atenas eram considerados cidadãos aqueles nascidos de pais e mães atenienses. Isso fez com que mais gente usufruísse da cidadania e fez crescer, consequentemente, o número de camponeses médios. Atenas era então um centro cultural potente na antiguidade. Por ser uma pólis democrática e estável tinha também intenções de expansão e exercia forte poder por todo o mundo grego, levando sua forma de organização social para outras cidades-estado.

No entanto, nem todas as pólis gregas viviam a partir de uma organização democrática. Muitas delas organizavam-se a partir de oligarquias, com a concentração de poder na mão de poucos e a cidadania muito mais restrita. Essas outras cidades formaram uma aliança que tinha em Esparta seu centro. Era a Liga do Peloponeso.

A guerra entre as duas ligas ficou conhecida como Guerra do Peloponeso, localizada ao longo do Mediterrâneo na segunda metade do século V a.C. A guerra foi uma disputa clara por poder entre as duas cidades: Atenas e Esparta. No período as diversas pólis gregas passavam por conflitos internos. Para resolvê-los chamavam uma das principais forças – ou Atenas ou Esparta – para lutar ao seu lado. Além disso também neste período havia uma disputa entre duas cidades portuárias: Atenas e Corinto. Tudo isso contribuiu para a disputa entre as Ligas.

Além da vitória de Esparta sobre Atenas a Guerra do Peloponeso ocasionou em uma maior integração entre as cidades-estado ao longo do Mediterrâneo. Mesmo que tenha perdido a guerra Atenas continuou sendo um importante centro cultural do mundo ocidental e manteve-se estável para além da guerra. Isso não quer dizer que a guerra não abalou as cidades participantes da Guerra e os conflitos continuaram a acontecer por todo o Mediterrâneo. Atenas foi vencida por Esparta em 404 a.C.

Referência:

GUARINELLO, Norberto Luiz. História Antiga. São Paulo: Contexto, 2013.