Jaguatirica

Graduada em Ciências Biológicas (USU, 2009)

A jaguatirica, também chamada de gato-do-mato, é o terceiro maior mamífero das Américas, ficando atrás apenas da onça-pintada e do puma. Sua característica física mais marcante é a presença, na sua pelagem, de manchas amarelas circundadas de preto (na posição horizontal), já nas pernas, as manchas são de cor preta e formato arredondado. Pode ser encontrada desde o centro-sul dos Estados Unidos, México, passando por toda a América Central e na maioria dos países da América do Sul. Seu habitat compreende savanas, cerrado, pantanal, caatinga, mangues, florestas tropicais e subtropicais.

Jaguatirica. Foto: Tom Smylie (US Fish & Wildlife Service, Image Archive) [Public domain], via Wikimedia Commons

A Jaguatirica pertence à família dos felinos, seu nome científico é Leopardus pardalis. Como a maioria dos felinos, possui hábitos noturnos para se deslocar e caçar e dorme durante o dia, porém é comum vê-la em atividade durante o dia. É solitária e territorialista, demarcando seu território com urina e fezes.

Uma jaguatirica adulta mede entre 90 centímetros e 1,35 m (incluindo a cauda) e em média pesam entre 7 kg e 16 kg. Sua sobrevivência em vida livre está em 10 anos e em cativeiro consegue sobreviver até os 20 anos. Possuem a habilidade para escalar árvores e já foram vistas nadando em busca de peixes para se alimentar. Além disso, consomem pequenos mamíferos, ovos de tartarugas, répteis, roedores e aves.

Jaguatirica. Foto: FOTOGRIN / Shutterstock.com

Os machos possuem território que sobrepõem o território de muitas fêmeas, assim o macho sempre está por perto para encontrar uma parceira. Caso exista mais de um macho no território da fêmea, eles irão brigar e o vencedor poderá cruzar com a fêmea do local. A fêmea dá a luz a cada dois anos e o período gestacional dura entre 72 e 82 dias. Numa gestação nascem um ou dois filhotes, mas podem nascer 3 ou 4 filhotes que dependerão apenas da mãe por muitos meses. Será a mãe que deverá ensinar os filhotes a caçar e se proteger. Os filhotes fêmeas ganham maturidade sexual entre 16-18 meses, e os machos pouco tempo depois com cerca de 24 meses. Antes de alcançarem a maturidade sexual, deverão sair em busca do próprio território.

A jaguatirica encontra-se ameaçada de extinção. Alguns estudos estimam que na década de 1960-1970 o comércio de peles matou cerca de 200 mil indivíduos. Os principais fatores que desfavorecem a sobrevivência deste animal atualmente são: a falta de alimento, já que muitos homens caçam em áreas proibidas, a redução do seu habitat causada principalmente pelo desmatamento, a caça predatória para utilização da pele do animal e a caça de filhotes.

Jaguatirica. Foto: Vladimir Wrangel / Shutterstock.com

Vale ressaltar o aumento no interesse das pessoas de aprisionarem animais selvagens para tratá-los como animais domésticos. Como as jaguatiricas podem apresentar pequeno porte, algumas pessoas roubam os filhotes para domesticá-los, porém trata-se de um animal selvagem que podem atacar o homem quando se sentirem acuados. Além disso, é proibido por lei com possibilidade de ser encarcerado e obrigatório o pagamento de multa quem mantém animais silvestres em casa sem a autorização prévia do IBAMA.

Bibliografia:

STORER, Tracy I. USINGER, Robert L. STEBBINS, Robert C. NYBAKKEN, James W. Zoologia Geral. 6ª Edição, 1984.

http://www.oeco.org.br/noticias/28315-alerta-para-extincao-das-jaguatiricas-na-mata-atlantica/. Acessado em: 01/02/2018.

https://www.sosma.org.br/blog/saiba-mais-sobre-jaguatirica/. Acessado em: 01/02/2018.

http://projetooncafari.com.br/pt-BR/anta/18-mamiferos/98-jaguatirica. Acessado em: 01/02/2018.

Arquivado em: Mamíferos