Vorticismo

O Vorticismo é uma teoria estética, criada pelo poeta norte-americano Ezra Pound e desenvolvido em Londres por Wyndham Lewis entre 1914 e 1917.

Navios com camuflagem ofuscante em Liverpool. (Dazzle-ships in Drydock at Liverpool) - Edward Wadsworth, 1919

A teoria remonta a alguns aspectos do Imagismo, mas também apresenta como características uma certa estilização gráfica das poesias, sendo considerada muitas vezes como precursora da Poesia Concreta, e a nova conceituação de poesia como condensação. Faz parte do mesmo movimento vorticista de Pound o movimento britânico da pintura do início do século XX, de Wyndhram Lewis, com influência cubista e futurista. Os principais nomes do Vorticismo são: Ezra Pound, Wyndham Lewis, William Roberts e Frederick Etchells.

Ezra Pound e Wyndhram Lewis eram grandes companheiros, e Pound escreveu um artigo com o intuito de descrever as diferenças entre o Vorticismo e o futurismo. Pound afirma no artigo que o futurismo nada mais é que uma descendência do impressionismo, e que por conta disto é um movimento superficial e extensivo, enquanto o Vorticismo é intensivo.

O movimento tem esse nome pelo fato de apresentar imagens sucessivas aceleradas em profundidade, promovendo um sorvedouro de perspectivas, um vórtice, daí Vorticismo. Há também outra explicação, com base na idéia de que toda geração artística surge de um vórtice emocional.

Juntando-se artistas plásticos, escritores e poetas, o vorticismo visa romper com tradição artística inglesa por meio da articulação da cor e do movimento nas obras. Houve uma única exposição da arte vorticista, em Londres, no ano de 1915, no auge do movimento.

As características imagistas defendidas por Pound, da poesia precisa, clara e com grande economia na linguagem, com desenvolvimento baseado no ritmo musical foram absorvidas pelo movimento vorticista, a característica sintética, o embasamento imagético da poesia.

Apesar das frequentes comparações com o cubismo e o futurismo, Lewis não economizava ao fazer críticas a estes movimentos. Para o artista plástico, ao cubismo faltava matéria espiritual pelo excesso de sofisticação, enquanto para o futurismo faltaria qualidade plástica, pelo excesso de qualidades vitais. Ou seja, para ele, os dois movimentos eram incompletos e dependiam a todo o tempo um do outro.

Apesar de todo o esforço de Wyndhram Lewis para manter o movimento, o Vorticismo tem vida curta, e a tentativa de reavivá-lo com a criação do Grupo X em 1919 também não obtém sucesso. Apesar de tudo, a teoria estética do Vorticismo exerceu forte influência sobre o modernismo britânico, como, por exemplo, nas obras de Henri Moore, Francis Bacon e Ben Nicholson.

Não há uma manifestação vorticista no Brasil. No entanto, na Semana de Arte Moderna de 1922 os artistas brasileiros foram considerados “futuristas”, pelas novas intervenções estéticas de vanguarda e pelas inovadoras características estéticas empregadas.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Vorticismo
http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=4696
http://www.infopedia.pt/$vorticismo