Pólen

As angiospoermas produzem grãos infinitamente pequenos denominados pólen. Como na microscopia ao lado pode-se perceber que existem os mais variados tipos de pólen de diferentes tamanhos e formas. Estes grãos estão localizados nas flores deste tipo vegetal não por acaso. As estruturas florais, com seus aromas e cores, chamam a atenção dos mais variados animais que ao pousar nelas captam involuntariamente os tais grãozinhos, posteriormente vão embora e pousam mais adiante em outra flor e assim vão espalhando o pólen, contribuindo para a germinação de novos indivíduos. Esse processo chama-se polinização.

Foto: Eduard Kyslynskyy / Shutterstock.com

Foto: Eduard Kyslynskyy / Shutterstock.com

Estruturalmente esses grãos são arredondados e pequenos. O menor grão até hoje conhecido e estudado é o do Myosotis, medindo apenas 6µ (6 micrômetros). Componentes importantes como as proteínas formam uma grande parcela da composição do pólen, cerca de 40%, água também em boa proporção: 30%, vitaminas (principalmente vitaminas A, B, C, D e E) e componentes minerais, além de conter todos os aminoacidos já estudados até hoje (arginina, histidina, isoleucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano, valina e prolina).

Falando em pólen não se pode deixar de falar nas abelhas, já que este é o principal produto não-líquido de sua alimentação. E é a partir da obtenção deste pólen que as abelhas elaboram a geléia real que alimentará as larvas da rainha e das operárias jovens. É muito comum que algumas pessoas confundam néctar com pólen (achando que são a mesma coisa ou muito parecidas), porém a diferença é notável já que o néctar é pobre em proteínas, vitaminas e lipideos, e rico em carboidratos.

Esses grãos surgem a partir do processo meiótico que ocorre no estame das plantas angiospérmicas, e cada pólen formado é na verdade um gametófito haplóide. Como a primeira divisão dá surgimento à dois, um será maior (vegetativo) e outro será menor (este formará os gametas). Basicamente, o pólen pode ser dividido em dois tipos distintos:

  • Mossulcado: os estudiosos denominaram este tipo como o mais primitivo dos grãos polínicos, graças à sua estrutura que apresenta apenas um orifício na sua camada mais externa. Na maioria das vezes é encontrado nas Monocotiledôneas e alguns grupos primários (ou basais) dicotiledôneos.
  • Trissulcado: este tipo polínico é predominante nas dicotiledôneas e é assim denominado porque apresenta três sulcos na sua camada mais externa, a exina. Esses três sulcos são na verdade três possibilidades diferentes de originar o tubo polínico, então também por isso é considerado o tipo de pólen mais evoluído. Já que mais opções podem ser a chave de um sucesso garantido.

Se o pólen é o principal alimento das abelhas, para os humanos ele é o mais completo. Alguns estudos recentes trazem ao nosso conhecimento que este grãozinho além de conter todos os aminoácidos essesnciais aos seres humanos, também traz uma série de outros elementos igualmente importantes, tais como: minerais, vitaminas, hormônios vegetais e fibras. Seu valor nutricional conferiu à si o título de “bife verde”, carinhosamente dado pela comunidade do Centro de Estudos Apícolas da UNITAU. Justamente por ter muito mais nutrientes que a própria carne ou ainda, a proteína de soja. Além de ter propriedades antioxidantes, antianêmicas (quando utilizado sob orientação clínica eleva rapidamente a taxa de hemoglobina) e ainda auxilia o tratamento preventivo da prostatite. Tantos benefícios também precisam de igual atenção já que hoje a alergia humana ao pólen está cada vez mais comum.

Fontes:
http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2010/05/polen-combate-o-envelhecimento-e-ajuda-recuperar-energias.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pólen