Rizoma

Doutorado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente (Instituto de Botânica de São Paulo, 2017)
Mestrado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente (Instituto de Botânica de São Paulo, 2012)
Graduação em Biologia (UNITAU, 2006)

Publicado em 17/12/2018

O caule do tipo rizoma é subterrâneo ou aéreo, geralmente com formato cilíndrico. Apesar de ser parecido com uma raiz, o rizoma apresenta gemas, por isso é classificado como caule. Este tipo de caule cresce paralelo ao solo, formando raízes adventícias a partir dos nós. Raízes adventícias são aquelas que se originam de outras estruturas da planta que não da própria raiz. O rizoma não possui clorofila e pode ser ou não ramificado.

As folhas que estão presentes no rizoma são escamiformes e recobrem as gemas, por isso são consideradas catafilos. É a partir dessas gemas laterais que se desenvolvem os brotos aéreos. O rizoma pode ser delgado ou espesso, sendo considerado um importante órgão de reserva de nutrientes para diversas plantas. Este caule também está envolvido na reprodução assexuada das plantas. Ele está presente em vários grupos de plantas, incluindo samambaias, bambus, bananas, orquídeas, bromélias, gengibre, etc (Figura 1).

Figura 1 – Algumas plantas que possuem o caule do tipo rizoma. (A) Gengibre. (B) Samambaia. (C) Iris. Fotos: Sangaroon (A), Kazakova Maryia (B), Nadzeya Pakhomava (C) / Shutterstock.com

Referências bibliográficas:

Raven, P.; Evert, R.F. & Eichhorn, S.E. 2007. Biologia Vegetal. 7ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 830 p.

Souza, L.A. 2009. Morfologia e anatomia vegetal: células, tecidos órgãos e plântula. Ponta Grossa: Ed. UEPG, 259 p.