Agente Laranja

Agente laranja é um herbicida, tem esse nome  por causa de uma faixa laranja na embalagem. Esse herbicida contém dioxina, uma substância cancerígena e altamente tóxica. A dioxina é um subproduto resultante da combinação do 2,4-D e 2,4,5-T. O Agente Laranja foi muito utilizado na década de 1960, mas nos dias de hoje seu uso já está ultrapassado. Atualmente são utilizados novos herbicidas, criados com uma preocupação de não agredir tanto o meio ambiente.

Efeitos do agente laranja

Quando há exposição ao mesmo, causa doenças graves como câncer de pulmão, câncer de pele, incapacidade mental, deformidades no organismo e abortos. Seu efeito em florestas pode durar por até duas gerações, comprometendo a fauna e a flora, bem como a contaminação do solo e das águas.

Seu uso causou graves problemas de saúde e desastres ambientais

Foi usada pelo exército americano na guerra do Vietnã  para o reconhecimento do inimigo em solo, pois causa o desfolhamento das plantas. Durante a guerra  vinte e seis mil aldeias foram afetadas com o veneno. 50 anos depois do uso dessa arma química o Conselho Mundial da Paz (CMP) lança campanha para condenação dos Estados Unidos, pela destruição de  florestas e por ter vitimado milhões de pessoas (estima-se que pelo menos três milhões de vietnamitas vivam com sequelas). Além disso, mais de 25% das florestas foram atingidas - cerca de três milhões de hectares-,  chegando a contaminar o solo e lençóis freáticos. Em 2009, foi detectado que nível da substância na região estava de 300 a 400 vezes acima do limite tolerável.

Posteriormente o herbicida foi empregado na floresta amazônica por fazendeiros, causando grandes desastres ecológicos, como o desflorestamento. Seu efeito não é visível de imediato, por isso ele foi o método escolhido pelos fazendeiros, pois se usassem máquinas para desmatar a floresta seriam facilmente flagrados por autoridades ambientais.

As autoridades ambientais descobriram o uso do agente laranja na Amazônia através de fotos de satélites, eles notaram que milhares de árvores apresentavam cor cinzenta e suas folhas haviam sido totalmente perdidas. As autoridades chegaram à conclusão que o veneno provavelmente teria sido aplicado sobre as árvores com o auxílio de aviões, e ficaria impossível descobrir o autor desse crime.  Muitas espécies de árvores e vegetação foram afetadas, já que a área atingida era muito grande, cerca de 440 hectares.

Fontes:
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=9&id_noticia=162128
http://planetasustentavel.abril.com.br/blog/planeta-urgente/agente-laranja-agora-amazonia-295668/

Arquivado em: Produtos Químicos