Composto molecular

Doutora em Química (UFPR, 2016)
Mestre em Química Analítica (UFPR, 2010)
Licenciada em Química (UFPR, 2009)

Não podemos falar em compostos moleculares sem antes mencionar a ligação covalente, que é quem dá origem a esse tipo de composto. Uma ligação covalente é aquela onde acontece o compartilhamento de elétrons, e temos envolvidos um ametal e um átomo de hidrogênio, ou dois ametais, ou ainda dois hidrogênios. Lembrando ainda que o objetivo dos átomos ao formar uma ligação química é atingir um menor estado de energia, a chamada “estabilidade”. Na maioria dos compostos (há exceções) esse estado é atingido quando os átomos após formarem a ligação passam a ter 8 elétrons na sua camada de valência, e é daí que surge o nome teoria do octeto. Sendo assim, podemos definir então que os compostos moleculares são caracterizados por formarem apenas ligações covalentes, sendo denominados de moléculas.

Com relação as suas propriedades, de uma maneira geral, apresentam algumas características que podem ser explicadas pela maneira como os átomos interagem durante a ligação. Entre elas, podemos destacar:

  • Menor ponto de fusão (PF) e ebulição (PE) em comparação aos compostos iônicos: isso acontece, pois, as atrações entre suas moléculas são menores, e com isso é necessário fornecer menos energia para separá-las. Porém existem exceções, uma vez que o ponto de ebulição e fusão depende também de suas massas molares, e quanto maior, maiores seus PF e PE. Um exemplo de um composto molecular com elevado PF é o diamante que se apresenta na forma de uma macromolécula, e possuem uma quantidade de número indeterminados de átomos de carbono.
  • Menor dureza: os compostos moleculares costumam ser mais macios, porem temos uma exceção que é o caso do diamante, que apresenta a maior dureza de todos os materiais conhecidos. Nesse caso, isso se deve ao tipo de organização dos átomos de carbono nesta substância.
  • Menor capacidade de conduzir corrente elétrica e calor: isso acontece pois, para que haja condução é necessário ter mobilidade dos elétrons. Porém na ligação covalente, como os elétrons são compartilhados, eles não ficam livres para a condução. Cabe aqui ressaltar também uma exceção, que é a grafita, que embora seja um composto molecular conduz bem eletricidade. Isso ocorre em função da presença de ligações pi (π) conjugadas e também da hibridização sp² (plana) do átomo de carbono que permitem o movimento dos elétrons. Em relação a condução de calor, por apresentarem baixa condutividade térmica, muitos compostos moleculares são utilizados como isolantes.

Temos muitos compostos moleculares presentes tanto em nosso dia, quanto no meio industrial, entre eles temos:

  • H2O – água.
  • C12H22O11 (sacarose), que nada mais é que o açúcar que utilizamos em casa.
  • C2H6O – etanol, presente em produtos de limpeza, higiene pessoal, bebidas e combustíveis.
  • H4C2O2 (ácido acético), presente no vinagre.
  • H2SO4, utilizado nas baterias dos carros, produção de fertilizantes e refino do petróleo, entre outros.
  • Dióxido de silício: principal constituinte da areia, sendo utilizado, por exemplo, como base para a produção de vidros e cimento.
  • H2O2 (peróxido de hidrogênio): mais conhecida como água oxigenada, é utilizada de forma diluída em soluções farmacêutica para tratar feridas, na parte cosmética como descolorante ou ainda nas industriais como alvejantes.

Referencias:

Tito e Canto. Química na Abordagem do Cotidiano. Volume único, parte A – Química Geral e Inorgânica. Editora Saraiva 2005.

ATKINS, P. W.; JONES, Loretta . Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio ambiente, volume único. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006