Utilização de máscaras como prevenção ao COVID-19

Graduado em Ciências Biológicas (UNIFESO, 2014)

A utilização de máscaras tem grande importância para a promoção da saúde, pois ela funciona para filtrar o ar, impedindo que partículas, gases e agentes patogênicos as ultrapassem. O tipo de mascara varia de acordo com o tamanho com o que deseja ser filtrado e o peso das partículas a serem filtradas. Sua utilização beneficia tanto quem utiliza quanto as outras pessoas ao se redor. A utilização da mascara adequada e com o uso da forma correta impede que os microrganismos alcancem o aparelho respiratório da pessoa que está utilizando, agindo como uma barreira, e não deixa que esses mesmo agentes façam o caminho inverso, impedindo o contato de secreções do trato respiratório para o ambiente, evitando assim futuras contaminações.

Foto: r.classen / Shutterstock.com

As máscaras são divididas por sua função, segundo Ministério da Saúde:

  • Máscaras cirúrgicas: protegem principalmente o ambiente de quem elimina as gotículas ao falar e respirar. Vale destacar que essas são descartáveis e não protegem contra os aerossóis;
  • Proteção respiratória: Filtra o ar que irá chegar na boca e no nariz, elas são recomendadas para os profissionais de saúde, principalmente quando há contato com aerossol (partículas em suspensão no ar) que venha de alguém infectado, pois a vedação e a filtração são maiores comparadas às cirúrgicas. Esse tipo é classificada como N e em PFF dependendo das normas do país, a mais conhecida é a N95 (PFF2) que filtra agentes causadores de tuberculose, MERS, SARS, H1N1 e COVID-19.

A história documenta o aproveitamento de mascaras para a saúde a longa data. A era renascentista tem destaque, pois as pessoas utilizavam tecidos cobrindo o nariz e a boca durante a peste bubônica, acreditava-se que o mal cheiro vindo dos gases dos cadáveres pela doença era o grande transmissor da doença (teoria do miasma), por isso ao manipular os corpos era comum a utilização de panos cobrindo o rosto. A famosa mascara em formato de bico de ave foi desenhada por inspiração dessa teoria, no qual acreditava-se que o gás iria demorar mais para chegar nas vias respiratórias pela máscara ter o formato alongado.

No século XXI, a pandemia do COVID-19 causada pelo o vírus SARS-CoV-2 trouxe à tona a utilização de mascaras em massa pela população por recomendação das principais autoridades de saúde como o OMS e o Ministério de Saúde. É recomendado deixar as máscaras cirúrgicas e de proteção respiratórias para os profissionais de saúde, visto que por conta da pandemia a demanda dessas cresceram muito originando escassez mundial deste e outros materiais. A utilização de mascaras caseiras com no mínimo duas camadas de tecidos é recomendada para o uso dos não profissionais de saúde.

A maneira de colocar, retirar e guardar esse tipo mascara são de extrema importância para evitar o contagio de doenças. A ANVISA recomenda:

  • Verificar se a máscara está limpa e íntegra;
  • Higienizar as mãos antes do manuseio;
  • Garantir que a máscara cubra a boca e o nariz;
  • Evitar o uso de maquiagens;
  • Manter o conforto no rosto e conforto respiratório;
  • Evitar tocar na máscara quando em utilização, principalmente na parte interna;
  • Trocar de máscara por no máximo a cada 3 horas, ou se ela ficar úmida antes desse tempo;
  • Retirar a máscara pelos os elásticos pela parte inferior das orelhas;
  • Não compartilhar as máscaras;

Ao lavar é recomendado que seja colocada de molho com duração de no mínimo 30 minutos em solução de 2,5% água sanitária diluído em água, lavar separadamente das demais peças de roupa, com água quente, e passar ferro quente.

No Brasil a utilização de máscara de fabricação caseira ou industrial em alguns espaços públicos durante a pandemia se tornou obrigatória pela Lei nº 14.019/2020 que foi sancionada no dia 03/07/2020, mas antes disso, boa parte dos estados e municípios brasileiros já haviam decretado a obrigatoriedade de mascaras em locais públicos. Vale ressaltar que o uso de mascaras vem se mostrando eficaz ao combate da pandemia do COVID-19, diminuindo a contaminação em 40% segundo estudos.

Referencias:

https://epocanegocios.globo.com/Mundo/noticia/2020/03/conheca-historia-de-origem-da-mascara-n95-simbolo-da-pandemia-de-coronavirus.html

http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/covid-19-tudo-sobre-mascaras-faciais-de-protecao/219201#:~:text=Diversas%20esp%C3%A9cies%20de%20m%C3%A1scaras%20est%C3%A3o,(tamb%C3%A9m%20chamados%20de%20respiradores).

http://www.ans.gov.br/aans/noticias-ans/coronavirus-covid-19/coronavirus-todas-as-noticias/5509-campanha-da-ans-reforca-recomendacao-pelo-uso-de-mascara-de-protecao-contra-o-coronavirus

https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2020-07/bolsonaro-sanciona-lei-que-torna-obrigatorio-o-uso-de-mascara

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/07/07/uso-de-mascara-estudo.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Saúde, Sem Categoria