Tempestade de citocinas

Mestre em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas (FIOCRUZ, 2011)
Graduada em Biologia (UGF-RJ, 1993)

Ouça este artigo:

Citocinas são moléculas que participam da comunicação entre as células. Desempenham papel importante na regulação do sistema imunológico, acelerando o processo inflamatório e também iniciando o processo de cicatrização. São elas que “sinalizam” para as células do sistema imunológico que há uma infecção em curso no organismo. São produzidas por uma ampla gama de células do sistema imune, como os linfócitos, macrófagos, monócitos e leucócitos.

As citocinas estão divididas basicamente em cinco categorias: interleucinas (são mediadoras da sinalização entre linfócitos e os outros leucócitos), interferons (são produzidos em resposta a infecções virais ou por estimulação imunológica), fatores de necrose tumoral (secretados por macrófagos e mastócitos, com atuação na inflamação aguda), quimiocinas (desempenham papel na quimiotaxia, circulação, migração e ativação de leucócitos) e fator de transformação de crescimento (controla a proliferação e diferenciação celular).

Tempestade de citocinas, também conhecida como hipercitocinemia é uma resposta celular excessiva, podendo ocasionar danos ao corpo humano. Quando o organismo entra em contato com um invasor novo e altamente patogênico, pode ocorrer uma resposta imune exagerada, com a produção exagerada e descontrolada de células do sistema imunológico, em um único local. A razão ainda não é muito conhecida. As tempestades de citocinas podem lesionar significativamente os tecidos e órgãos do corpo. Podem causar obstrução do fluxo sanguíneo e hemorragia interna. E elas podem ocorrer em várias doenças infecciosas e não-infecciosas, como, por exemplo, na pancreatite aguda, que resulta na síndrome da resposta inflamatória sistêmica e na falência de múltiplos órgãos.

Há uma desconfiança de que a tempestade de citocinas foi a principal causa de mortes na gripe espanhola no início do século XX. A síndrome respiratória aguda grave (SARS) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS), podem produzir resposta imunológica exagerada.

Tempestade de citocinas e COVID-19

Em alguns pacientes com COVID-19, a tempestade de citocinas é apontada como sendo uma das responsáveis pela síndrome respiratória e falência múltipla de órgãos. Ela vai ocasionar insuficiência respiratória pela síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA). Após ser invadida pelo coronavírus, a célula pulmonar libera moléculas de citocinas, que alertam o sistema imunológico que estão sobre ataque.

Elas ativam também os macrófagos (células de defesa) que liberam mais citocinas, que irão recrutar mais células de defesa. Como há uma quantidade muito grande de citocinas, as células do sistema imunológico migram em grande número dos vasos sanguíneos para a área inflamada, que no caso do coronavírus é o pulmão, e começam a danificar o tecido pulmonar. Quando chega a esse ponto, o paciente precisa de respirador artificial.

Pesquisas em andamento indicam que condições pré-existentes, como problemas renais ou hipertensão, podem influenciar a atuação do sistema imunológico, desencadeando a tempestade e agravando a infecção pelo coronavírus. Estudos indicam que uma doença chamada linfo-histiocitose hemofagocítica (LHH), que é uma síndrome caracterizada pela hiperativação imunológica e comumente desencadeada por infecções virais, pode desencadear a tempestade de citocinas em pacientes com COVID-19.

As citocinas são importantes para a resposta imunológica do organismo humano. Mas em quantidades exageradas podem acarretar sérios problemas e levar o indivíduo à morte.

Bibliografia:

Coronavírus causa tempestade de citocina. Disponível em https://pfarma.com.br/coronavirus/5536-tempestade-citocina-covid19.html Acessado em 19/11/2020.

Entenda os riscos da resposta imunológica excessiva em casos de Covid-19. Disponível em: https://secad.artmed.com.br/blog/medicina/riscos-resposta-imunologica-excessiva-covid-19/ Acessado em 21/11/2020.

O que são citocinas? Qual o seu papel na DTM e na inflamação crônica? Disponível em: http://www.patologiadaatm.com.br/o-que-sao-citocinas-qual-o-seu-papel-na-dtm-e-na-inflamacao-cronica/ Acessado em 21/11/2020.

Você sabe o que é tempestade de citocina? Disponível em: https://www.ufrgs.br/microbiologando/2020/04/22/voce-sabe-o-que-e-tempestade-de-citocina/ Acessado em: 21/11/2020.

Arquivado em: Sistema Imunológico