Água Potável

Por Thais Pacievitch
Entende-se por água potável (do latim potus, bebida, potabilis, bebível e potare, beber) a água bebível no sentido em que pode ser bebida por pessoas e animais sem causar doenças. O termo se aplica à água que foi tratada para consumo humano segundo padrões de qualidade determinado pelas autoridades locais e internacionais.

O fornecimento de água potável é um problema que tem deixado o homem preocupado desde a antiguidade. Na Grécia antiga eram construídos aquedutos e tubulações de pressão para assegurar o abastecimento de água. Em algumas localidades são construídas cisternas para este mesmo fim.

Na União Européia a norma 98/83EU estabelece valores máximos e mínimos que a água deve conter de minerais, germes patogênicos e alguns íons como cloretos, nitratos, nitritos, amônia, cálcio, magnésio, fosfato, arsênico, etc. O pH da água deve estar entre 6,5 e 8,5. Normalmente o controle da água potável é mais severo do que o aplicado às águas minerais engarrafadas. Ainda na Europa, calcula-se que o gasto médio por pessoa oscile entre 150 e 200 litros/dia, sendo que de 2 a 3 litros/pessoa são usados para beber. Em muitos países do mundo a água potável é um bem cada vez mais escasso. Teme-se que conflitos bélicos possam ser gerados pela possessão das fontes de água.

Para que a água captada (poços, lagos, etc.) seja adequada para consumo humano, é necessário tratá-la corretamente para deixá-la pronta para o consumo, potável. Este processo é denominado potabilização e é realizado nas estações de tratamento. Existem diferentes métodos e tecnologias de potabilização, mas em todos eles constam, mais ou menos, as seguintes etapas:

1. Pré-cloração e Floculação: depois de uma filtração inicial para retirar fragmentos sólidos de grande tamanho, é adicionado o cloro (para eliminar os microorganismos da água) e outros produtos químicos que fazem com que as partículas sólidas precipitem formando flocos.

2. Decantação: nesta fase são eliminados os flocos e outras partículas presentes na água.

3. Filtração: a água é passada por diversos filtros para eliminar a areia e outras partículas que ainda possam ter ficado, eliminando, assim, a turbidez da água.

4. Cloração e Envio à Rede: para eliminar os microorganismos mais resistentes e para a desinfecção dos canos da rede de distribuição.