Poluição

Graduação em Ciências Biológicas (Unicamp, 2012)
Mestrado Profissional em Conservação da Fauna Silvestre (UFSCar e Fundação Parque Zoológico de São Paulo, 2015).

Poluição é a introdução provocada ou acidental de substâncias ou energia no meio ambiente, trazendo consequências negativas e desequilíbrio para os seres vivos, inclusive para os humanos e para os ecossistemas. A poluição é considerada um dos principais problemas ambientais hoje e passou ser mais comum com o aumento da densidade demográfica, urbanização e industrialização. O agente contaminante é chamado de poluente, que pode ser químico ou genético; ou em forma de energia, como calor, luminosidade e radiação.

Tipos de poluição: Poluição das águas, do ar, do solo, sonora, visual, térmica e nuclear.

Causas e Consequências

A poluição surge a partir de atividades humanas que geram resíduos, sejam eles materiais ou energéticos.

Poluição do solo e das águas

Uma substância que é encontrada no meio naturalmente, pode causar efeito negativo, em grande quantidade, sendo considerada poluente. Como o nitrogênio e o fósforo que são encontrados no solo, mas com a alta quantidade provocada pelos fertilizantes, chegam aos cursos d’água causando desequilíbrios, como a eutrofização.

Principais causas: por herbicidas, pesticidas, derramamento de óleo, metais pesados (chumbo, mercúrio, zinco, etc.), dejetos, lixos industriais e domésticos, detergentes. Estes poluentes causam impacto nas comunidades e na saúde humana, diminuição de fontes de alimento e atingem os ecossistemas envolvidos.

A produção de material descartável, eletrônicos, solventes, geram grande quantidade de lixo. O destino destes resíduos sólidos vai impactar solo e água.

Um outro fator que prejudica os ecossistemas aquáticos são as ações antrópicas que causam erosão do solo nas encostas. A sedimentação causada nos rios, implica em turbidez da água e diminuição da luminosidade, afetando a flora, com a diminuição de fotossíntese e a visibilidade da própria fauna.

Poluição na praia de Kuta, Bali, Indonésia. Foto: Maxim Blinkov / Shutterstock.com

Poluição do ar

É a liberação de partículas gasosas, líquidas ou sólidas na atmosfera. A queima de combustíveis fósseis libera CO2, que é um gás presente na atmosfera, mas que vira poluente por ser em excesso. O gás carbônico junto ao metano (CH4), causam o efeito estufa, que é natural e essencial para a vida no planeta Terra, porém, a intensa atividade industrial e dos veículos, leva a demasiada produção destes gases e um efeito estufa exacerbado, provocando mudanças, como o aquecimento global.

As indústrias liberam grandes quantidades de sulfatos e nitratos no ar, que combinados com a água da atmosfera, resulta em chuva ácida. Além de danificar estruturas materiais, a chuva ácida baixa o PH do solo e dos corpos d’água que ela atinge, levando ao declínio de diversos tipos de populações, como de peixes e anfíbios. O ozônio e os metais tóxicos também são poluentes para flora e fauna, que mesmo não tendo uma comunidade inteira destruída, pode ter sua composição e estrutura alteradas. Os gases CFCs (cloro, flúor, carbono) causam diminuição na camada de ozônio, o que intensifica a radiação ultravioleta, provocando câncer de pele, cataratas, etc.

Poluição térmica

É o aquecimento de ar e água, através de atividades das hidroelétricas, usinas nucleares e termoelétricas. O aumento de temperatura na água pode levar os animais à morte.

Poluição nuclear

Poluição nuclear é aquela que surge através da radiação gerada pelas usinas nucleares. É diagnosticada como a poluição mais perigosa, pelas consequências que pode causar: Infecções, hemorragia, cânceres, perturbações mentais, distúrbios respiratórios e circulatórios e deformidades crônicas.

Poluição visual e sonora

Há poluição visual e sonora, que é o excesso de informação que estamos condicionados na publicidade, produção de sons e ruídos, causando desconforto mental e estresse.

Podemos dizer que a introdução de espécies exóticas é um tipo de poluição biológica, uma vez que pode causar impactos no meio.

A forma de diminuir as poluições é através da sensibilização das populações e envolvimento de todos os setores para o desempenho das ações.

Referências:

PRIMACK, Richard; RODRIGUES, Efraim. Biologia da Conservação. Londrina: E. Rodrigues, 2001.

http://www.ufjf.br/engsanitariaeambiental/files/2012/03/Apostila_ContPr%C3%A1ticaESA.pdf

Arquivado em: Ecologia