Cordados

Animais no filo Chordata são deuterostômios (ânus formado primeiro), têm simetria bilateral, celoma, metamerismo, e cefalização, porém para classificar animais como cordados, além de todas essas características, eles precisam apresentar algumas outras que são exclusivas. Uma delas e a principal é a notocorda em alguma fase da vida, responsável pela definição do nome. Ainda existem outras exclusivas dos cordados como o tubo nervoso dorsal, fendas faríngeas, endóstilo e cauda.

A notocorda é uma estrutura flexível em forma de bastão derivada de blocos do mesoderma, os somitos. A estrutura aparece logo no início do desenvolvimento dos embriões e se estende por todo o corpo para fortalecê-lo, pois serve de base para a fixação de músculos. Em animais protocordados e nos agnatos, a notocorda persiste por toda vida, sendo que nos demais a notocorda está presente somente na fase embrionária, pois é substituída pelas vértebras.

O tubo nervoso dorsal é uma estrutura sólida parcialmente oca que passa por cima da notocorda formada por dobras da endoderme. O tubo dá origem ao sistema nervoso dorsal, especificamente a ponta anterior do tubo dá origem ao encéfalo que é protegido pelo crânio.

As fendas faríngeas são aberturas localizadas na altura da faringe que são formadas por invaginações da parte externa da ectoderme ou da endoderme da faringe. As fendas são usadas para filtração do líquido e obtenção de alimentos. Em animais aquáticos as fendas persistem durante toda a vida, já em animais terrestres as fendas se mantém somente durante a vida embrionária.

Endóstilo está localizado abaixo das fendas faríngeas e secreta muco que ajuda no acumulo de muitas partículas que vem das fendas. O endóstilo vai dar origem a glândula tireóide.

A cauda é presente em alguma fase da vida tem a função de mobilidade em cordados aquáticos de vida livre ou que tem larvas aquáticas de vida livre. Em humanos a cauda existe apenas vestigialmente (o osso do cóccix), ao contrário dos demais vertebrados, que em sua maioria apresentam a cauda mais desenvolvida.

Sistemática

O filo dos cordados é composto por três subfilos: Urochordata, Cephalochordata e Vertebrata.

Os urocordados são os conhecidos tunicados. Suas larvas são livres, porém seus adultos são sésseis. A notocorda e o tubo nervoso estão presentes somente em larvas.

Os cefalocordados são os animais em forma de peixe conhecidos como anfioxos. A notocorda, a cauda e o tubo nervoso acompanham esses animais por toda a vida.

Nos vertebrados a notocorda vira a coluna vertebral, as fendas faríngeas viram brânquias em animais aquáticos e somem em animais terrestres e a cauda permanece na vida adulta na maioria dos animais.

Referência:
Hickman, Princípios integrados de zoologia 14 edição, 2008 – Páginas 496 a 501

Arquivado em: Animais, Cordados