Deuterostômios

Mestre em Dinâmica dos Oceanos e da Terra (UFF, 2016)
Graduada em Biologia (UNIRIO, 2014)

A formação da boca ou ânus de um indivíduo ocorre a partir da transformação do blastóporo. A ocorrência do segundo tipo (formação do ânus) é a característica principal do grupo dos deuterostomados ou deuterostômios.

Formação do blastóporo

A fertilização bem-sucedida do gameta feminino (óvulo) pelo masculino (espermatozoide) leva à formação do zigoto, que representa o primeiro estágio celular de um embrião. Este novo indivíduo se desenvolverá ao longo de três fases principais: a segmentação, gastrulação e organogênese. A formação dos folhetos embrionários ocorre durante a segunda etapa, e se inicia através da invaginação das células embrionárias, ou seja, o dobramento da camada celular, em direção à cavidade interna do embrião (neste momento, ainda conhecida como blastocele). Este movimento dá origem à duas camadas celulares, a endoderme (camada mais interna) e ectoderme (camada mais externa), e também ao arquêntero (cavidade embrionária em formato de ferradura, também conhecida como intestino primitivo). Nesta estrutura se encontra uma abertura conhecida como blastóporo, que permite a comunicação entre o meio interno do embrião e o meio externo. Em fases posteriores da embriogênese, o blastóporo dará origem à boca ou ânus do indivíduo, classificando-os como protostômios ou deuterostômios, respectivamente.

O terceiro folheto embrionário (mesoderme) é formado pela migração de células endodérmicas para a mesentoderme, uma estreita cavidade localizada entre a endoderme e a ectoderme. Posteriormente, estes tecidos darão origem à pele, ao sistema nervoso e à crista neural (ectoderme); à notocorda, aos músculos, sistemas cardiovascular e respiratório (mesoderme); e revestirão os tubos digestivo e respiratório (ectoderme) do indivíduo.

Características

Animais dos filos Echinodermata (estrelas do mar, ouriços) e Chordata (vertebrados) são classificados como deuterostomados, ou seja, seu ânus foi originado a partir do blastóporo. Como resultado, a boca destes animais é formada posteriormente, na região dorsal do embrião (em lado oposto ao blastóporo). Os deuterostômios também partilham outras características como segmentação radial (a clivagem do zigoto ocorre paralela ou perpendicularmente ao eixo polar celular) e indeterminada (diferenciação dos blastômeros em tecidos só ocorre em fases posteriores). Outro aspecto em comum entre os animais que compõem este grupo é a formação de celoma enterocélico, ou seja, originado a partir de dobras do intestino.

Referências:

Biology dictionary. Deuterostome. Disponível em: https://biologydictionary.net/deuterostome/

Biorede. Características dos deuterostômios. Disponível em: http://www.biorede.pt/page.asp?id=3410

UC Museum of Paleontology. Introduction fo the Deuterostomia. Disponível em: https://ucmp.berkeley.edu/phyla/deuterostomia.html

Arquivado em: Animais, Embriologia