Hibernação

A hibernação é um mecanismo de sobrevivência utilizado por muitos animais em períodos em que as condições ambientais se encontram bastante adversas ou ainda quando a quantidade de alimentos disponível é menor do que a necessária para a manutenção da temperatura corporal do animal.

Urso polar hibernando. Foto: Coffeemill / Shutterstock.com

Urso polar hibernando. Foto: Coffeemill / Shutterstock.com

Animais pequenos têm mais tendência para hibernar porque seu metabolismo é normalmente muito acelerado dependendo de grande quantidade de energia para se manter aquecido.

Diferentes animais em diferentes meios usam mecanismos variados de alteração do metabolismo que podem ser classificados de hibernação, estivação e torpor:

Os morcegos, por exemplo, e algumas espécies de pássaros passam por pequenos períodos diários em que seu metabolismo é reduzido. Este estado é chamado de torpor e tem duração e intensidades moderadas.

Outros animais, como os jacarés e alguns peixes e crustáceos, podem reduzir seu metabolismo quando a temperatura aumenta muito, ou, quando a quantidade de água disponível (na forma líquida, como em um rio, ou mesmo na forma de umidade do ar) cai a níveis perigosos para sua sobrevivência. Esta “hibernação” que ocorre em estações quentes é chamada de estivação.

E, por fim, alguns animais reduzem seu metabolismo quando a temperatura cai drasticamente (é a forma mais comum), quando a quantidade de energia para mantê-los vivos é maior do que a que se encontra disponível (na forma de alimentos), ou quando há uma grande variação no fotoperíodo (duração do dia). Essa é a chamada hibernação.

Ingerir alimentos é a forma de repor a energia que gastamos em todos os processos de nossos organismos. Desde correr, quando gastamos muita energia, até o simples ato de respirar (até quando dormimos estamos gastando energia!). Com os animais acontece o mesmo. E, por isso, alguns deles usam esse estado letárgico como uma forma de reduzir ao máximo seu metabolismo (gastando menos energia). Assim, a energia de que dispõem será suficiente para mantê-los vivos até que as condições do meio sejam favoráveis novamente.

Entre os biólogos há certa controvérsia entre o que é hibernação ou simples sono. Para alguns, os ursos, por exemplo, não hibernam porque sua temperatura corporal e metabolismo se mantêm quase os mesmos e eles podem ser acordados com relativa facilidade. Mas, de maneira geral, a hibernação pode ser definida como um estado em que o metabolismo e a temperatura são reduzidos drasticamente (alguns animais param até de defecar) durante um período prolongado depois do qual o animal precisa de um certo tempo para se recuperar.

Para hibernar, os animais precisam se preparar. Alguns animais fazem estoques de alimentos em suas tocas e, vez ou outra durante o inverno, despertam brevemente para se alimentar. Outros animais fazem esse estoque de energia na forma de gordura corporal. E, por fim, há aqueles que usam as duas técnicas combinadas.

Outra etapa da preparação para o período de dormência, é a escolha do local ou hibernáculo. Alguns animais, como os ursos, escolhem cavernas rasas para hibernar de forma a ficar abrigados (o que ajuda a manter a temperatura) e ainda assim perceber as mudanças do clima (para saber a hora de despertar). Esquilos, lêmures e outros animais cavam tocas no solo e a recobrem com folhas, barro e outros materiais isolantes. E algumas espécies de insetos constroem casulos para hibernar.

Arquivado em: Animais, Biologia, Fisiologia