Radicais Livres

Por Marina Martinez
Radicais livres são átomos ou moléculas com elétrons não pareados, ou seja, falta em sua estrutura química um elétron. Por esse motivo, os radicais livres atacam outras moléculas para "roubar" elétrons e assim se tornarem estáveis. Essas moléculas atacadas se tornam radicais livres e irão tentar o mesmo com outras moléculas, estabelecendo assim uma reação em cadeia que pode causar vários danos à um organismo.

Devido à presença de elétrons desemparelhados, os radicais livres são altamente reativos e podem participar de reações colaterais indesejáveis, resultando em danos celulares. Muitas formas de câncer são consideradas como o resultado de reações entre radicais livres e DNA, resultando em mutações que podem afetar negativamente o ciclo celular e, potencialmente, levar a malignidade. Além disto, os radicais livres promovem o processo de envelhecimento e estão relacionados com as doenças cardíacas, com o Mal de Parkinson e de Alzheimer.

A formação de radicais livres ocorre continuamente no nosso organismo. Reações internas que servem como fontes de radicais livres incluem aquelas envolvidas na cadeia respiratória, na fagocitose, reações envolvendo ferro e outros metais de transição, exercícios físicos, entre outras. A prática de exercícios físicos de grande intensidade aumenta o consumo de oxigênio no corpo que consequentemente leva á liberação de radicais livres. Por isso, é muito comum atletas além de possuírem uma alimentação rica em frutas e legumes, consumirem cápsulas de antioxidantes que são substâncias que ajudam a combater e neutralizar os radicais livres.

Os radicais livres também podem ser produzidos devido a fatores externos. Algumas fontes externas geradoras de radicais livres são a fumaça de cigarro, álcool, poluentes ambientais, radiação, luz ultravioleta, drogas pesticidas, alguns solventes industriais, entre outras.

Infelizmente hoje em dia, as tensões da vida moderna combinada com a idade e as deficiências nutricionais (alimentação rica em gorduras saturadas, açúcares e pobres em nutrientes), contribuem para o aparecimento de radicais livres no organismo. Portanto é muito importante, adicionar a dieta alimentar muitas verduras, frutas, legumes, cereais integrais que são fontes de antioxidantes, que protegem o corpo dos efeitos prejudiciais dos radicais livres.

Normalmente, o organismo pode lidar com os radicais livres através dos antioxidantes naturais como as enzimas glutationa, a catalase e superóxido dismutase. Porém, se estas não forem suficiente, devido à produção excessiva de radicais livres, muitos danos podem ocorrer. Portanto uma alimentação saudável rica em antioxidantes (vitamina C, vitamina E, vitamina A e beta-caroteno) é fundamental para manter o bom funcionamento do organismo.

Referências Bibliográficas:
http://www.dietacerta.com.br/noticias.php?n=23&c=8
http://www.health-spy.com/oxidative.html
http://www2.uol.com.br/vyaestelar/vida.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Radical_livre