Formol

Por Marina Martinez
Soluções de formaldeído gasoso dissolvido em água são chamadas de formol (O formaldeído se dissolve em água a 37%). Este composto orgânico é altamente tóxico e tem uma vasta gama de aplicações. É usado como desinfetante (mata a maioria das bactérias), conservante (muito usado no embalsamento de cadáveres), na fabricação de resinas sintéticas, tintas, plásticos, espelhos, vidros, cosméticos e até mesmo em explosivos. O formaldeído é usado para fazer vários produtos químicos, incluindo produtos de higiene pessoal como o creme dental.

Devido a sua toxicidade, o formol causa diversas reações maléficas no corpo humano quando ingerido, inalado ou quando entra em contato com a pele. É irritante para os olhos, nariz, garganta e pulmões e pode causar: reações cutâneas, infecções de ouvido, dores de cabeça, depressão, asma, dores nas articulações, tonturas, confusão mental, náuseas, desorientação, flebite, fadiga, vômitos, distúrbios do sono, laringite, entre outros. Além disso, o formaldeído é considerado um agente cancerígeno para os seres humanos.

Quando o formol é inalado pode causar no indivíduo dor de garganta, tosse e falta de ar. Também irá provocar irritação no trato respiratório. Concentrações entre 25 a 30 ppm (partes por milhão) causa lesões graves no trato respiratório levando ao edema pulmonarpneumonia. Em altas concentrações pode ser fatal.  Em caso de inalação, recomenda-se levar a vítima para um local bem arejado.  Se esta não estiver mais respirando, é necessário fazer respiração artificial.  Caso a vítima respire com dificuldade, deve-se consultar um médico imediatamente.

Se ingerido o formol pode causar dor abdominal intensa, náuseas, vômitos violentos, dor de cabeça e diarréia. Concentrações maiores provocam a queda da temperatura corporal, dor no aparelho digestivo, respiração superficial, pulso fraco, inconsciência e até mesmo levar a morte. Neste caso, não deve-se provocar o vômito na vítima, uma vez que este poderá ocorrer espontaneamente e não deve ser evitado. Deitar o paciente de lado também é recomendado para evitar que a vítima aspire resíduos.

Em contato com a pele este composto tóxico provoca irritação, vermelhidão, dor intensa e queimaduras. Se absorvido pela pele, o formol provoca sintomas semelhantes aos da ingestão. Recomenda-se lavar a área afetada pelo formol imediatamente com água em abundância e sabão.

Infelizmente é difícil evitar qualquer exposição ao formaldeído porque ele está presente no ar (geralmente abaixo de 0,03 ppm). Porém, para a maioria das pessoas exposição de baixo nível (até 0,1 ppm) não causa quaisquer problemas. Alguns métodos para evitar ou minimizar a exposição a altos níveis de formaldeído são:

  • Usar roupas feitas com algodão, nylon, acrílico e poliéster, pois estes tecidos contêm menos formaldeído e são geralmente bem tolerados por indivíduos sensíveis.
  • Lavar roupas novas antes de usar.
  • Para reduzir o teor de formaldeído no ar, recomenda-se aumentar a ventilação em ambientes internos através da abertura de portas e janelas ou instalação de exaustores nas áreas fechadas.
  • É muito importante ler os rótulos dos produtos cosméticos antes de utilizá-los, para ver se estes possuem formol em suas composições.

Referências Bibliográficas:
http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=795
http://pt.wikipedia.org/wiki/Metanal
http://www.hospvirt.org.br/enfermagem/port/formal.html