Mutualismo

Por Thais Pacievitch
O mutualismo é uma das relações harmônicas interespecíficas (entre indivíduos de espécie diferentes), na qual ambos se beneficiam. A relação entre os seres é intima e duradoura. Esta relação é chamada por alguns autores de simbiose obrigatória, pois uma espécie não poderia sobreviver independente da outra.

Exemplos de mutualismo:

- A relação dos liquens, na qual as algas são encarregadas de realizar a fotossíntese, enquanto os fungos realizam o papel da absorção.

- A relação entre o cupim e os protozoários flagelados (Triconinfa) ocorre dentro do intestino dos cupins, onde os protozoários são abrigados. O cupim alimenta-se de produtos a base de celulose, mas não é capaz de digeri-la. Os protozoários ficam então responsáveis pela degradação da celulose, e recebem dos cupins abrigo e a nutrição.

- Micorrizas é a relação entre a raiz de certas orquídeas e de arvores florestais com fungos. As orquídeas sintetizam compostos orgânicos e cede aos fungos, que em troca fornecem as orquídeas nutrientes minerais e nitrogênio.

- Bacteriorriza é a relação entre as bactérias do gênero Rhizobium e as raízes de leguminosas, na qual a troca é a seguinte: as leguminosas cedem às bactérias algumas substâncias orgânicas, enquanto as bactérias cedem as plantas leguminosas os compostos nitrogenados.

- Entre o boi e as bactérias e protozoários existentes em seu estomago ocorre uma relação mutualistica, pois as bactérias fabricam uma enzima que os bois não possuem para digerir os alimentos ricos em celulose que ingerem. Em troca o boi fornece as bactérias e aos protozoários, abrigo e nutrição.

- A figueira necessita de uma espécie específica de vespa para ter garantida a polinização de suas flores, e a vespa depende dos figos para garantir sua alimentação.

Outras relações harmônicas interespecíficas são o comensalismo, a protocooperação e o inquilinismo.