Comunidade dos Estados Independentes (CEI)

A Comunidade dos Estados Independentes (CEI) é uma organização de cooperação criada para praticamente substituir a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Atualmente os países integrantes da CEI são: Armênia, Azerbaijão, Bielorrússia, Cazaquistão, Moldávia, Quirguistão, Rússia, Tajiquistão, Turcomenistão, Ucrânia e Uzbequistão. A sede do comitê executivo da CEI é localizada em Minsk, capital da Bielorrússia.

Bandeira da CEI.

Bandeira da CEI.

Em setembro de 1991, no final da Guerra Fria, as repúblicas soviéticas num referendo político estabeleceram sua independência política da URSS e, principalmente, sua mudança político-econômica através da Perestroika e Glasnost. Neste momento, é impulsionado o surgimento de vários blocos econômicos como a União Europeia, cuja ideia veio a incentivar a criação de uma cooperação econômica dos países soviéticos.

Com a desintegração da URSS, a Federação Russa, junto com a Ucrânia e a Bielorrússia, iniciaram em 8 de dezembro de 1991 uma reunião propondo uma cooperação econômica entre os estados recém independentes buscando manter a influência e relação política soviética, porém, respeitando a soberania política de cada nação. Esta reunião é conhecida como o Acordo de Minsk que resultou na proposta oficial de criação da CEI.

Contudo, este acordo somente se iniciou em 21 de dezembro de 1991 quando foi assinado o Tratado de Alma-Ata, no Cazaquistão. Neste momento, aderem à CEI os países: Armênia, Quirguistão, Uzbequistão, Azerbaijão, Cazaquistão, Moldávia, Tadjiquistão e Turcomenistão. Posteriormente, em 1993, a Geórgia aderiu a CEI. Porém, o país saiu em 14 de agosto de 2009 após um referendo popular que repudiava o apoio russo a independência das províncias de Abkhasia e Ossétia do Sul.

Das 15 repúblicas soviéticas, apenas três nações rejeitaram a adesão à CEI. Trata-se dos países da república bálticas, como Estônia, Letônia e Lituânia. O motivo da não adesão é por conta de sua relação conflituosa com a URSS, sendo que estes países foram anexados a contragosto, e diante disso, com a independência política, estes países se afastaram da Rússia e almejam o ingresso na União Europeia.

A principal proposta da CEI era instituir uma cooperação econômica entre os membros, além de desenvolver e fortalecer relações de amizade e ajuda mútua

A cooperação tornou-se necessária por conta da interdependência econômica das nações soviéticas. Com o fim da URSS as novas nações teriam dificuldade de se estabelecer individualmente. Por exemplo, somente a Rússia concentrava 60% da produção industrial, tendo a Ucrânia 20%, a Bielorrússia 10% e os demais países somando 10%. Esta desigualdade industrial fez com que os países dependessem entre si da produção industrial e de seu mercado de consumo. Outro motivo que estimulou a cooperação é o recesso econômico da URSS, com alta inflação, moeda desvalorizada, que viria a aniquila-la. A Rússia tornou-se a principal herdeira das dívidas econômicas da URSS.

O acordo que criou a CEI substituiu o modo de produção socialista da URSS e aderiu a o capitalismo, estabelecendo uma política de livre comércio e privatizações. É adotado o uso de uma moeda única, o rublo.

Com a CEI o exército de cada nação se manteve unido como era na URSS, garantido o poderio militar. Manteve-se também o controle do valioso arsenal nuclear que guarda as nações, tendo a Rússia a detentora da maior parcela.

Os países membros da CEI enfrentam uma onda de diversos movimentos e conflitos separatistas por conta da diversidade étnica ou religiosa. Por exemplo, o conflito da Rússia com a Geórgia sobre a Ossétia do Sul e Abkázia, da Rússia com a Ucrânia em disputa da Criméia, na própria Rússia em disputa com os separatistas da Tartária e Chechênia-Inguchétia e Daguestão que reivindicam sua independência e, por fim, o conflito entre Armênia e Azerbaijão sobre a Nagorno-Karabakh.

Em março de 2004 a Ucrânia, um dos idealizadores da CEI, ameaçou se retirar da Comunidade provocando uma crise política. O motivo de sua saída é devido ao conflito do país com a Rússia que apoia a independência da Criméia, que é anexada a Ucrânia. Em 2014, as tropas da ucrânia foram retiradas da Criméia abrindo espaço para a integração com a Rússia, e nesse mesmo momento, a Ucrânia retornou a discussão da sua saída na CEI, contudo ainda nada é oficial.

No ano de 2011 é noticiado a criação de uma zona de livre comércio entre 9 países da CEI: Armênia, Rússia, Ucrânia, Bielorússia, Cazaquistão, Moldávia, Quirguistão e Tajiquistão. Este acordo é visto como uma forma de evoluir a cooperação econômica na CEI.

Dados (2014)

  • A área que cobre os países da CEI corresponde a 22.028.629 km².
  • A população total é de 284.598.478 habitantes
  • O PIB dos países da CEI é de US$ 2.551.915

Bibliografia:
CIS. Sobre a Comunidade dos Estados Independentes. Disponível em: http://www.cisstat.com/eng/cis.htm.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. A Comunidade dos Estados Independentes (CEI). In: ROSS, Jurandy. Geografia do Brasil. São Paulo: EDUSP, 2013. p.270-272.

PAMBOUKDJIAN, Armen. Armênia, Rússia e mais seis países da CEI criam Tratado de Livre Comércio. 19 de outubro de 2011. Disponível em: http://estacaoarmenia.com.br/3221.

POMERAN, Lenina. Rússia: mudanças na estratégia de desenvolvimento pós-crise? In: ALVES, André (org.). Uma longa transição: vinte anos de transformações na Rússia. IPEA. p.155-182. 2011.

Site oficial da CIS. http://www.e-cis.info/index.php?id=875

Arquivado em: Geografia, Sociedade