Triássico

Por Antonio Gasparetto Junior
O período Triássico foi o primeiro da era Mesozóica e localiza-se entre 251 e 199 milhões de anos atrás.

No início da era Mesozóica houve a formação de um grande oceano como resultado da fissura ocorrida na Pangéia. A Pangéia era a grande massa de terra que unia todos os continentes da época em uma única superfície terrestre. O racha da Pangéia fez nascer a Laurásia e a Gondwana, raízes dos continentes que conhecemos hoje.

O Triássico é a primeira fase da era Mesozóica, é o sucessor do período Permiano, o qual selou o fim de uma era, a era Paleozóica. O Triássico divide-se ainda em três épocas, são elas: Inferior, Média e Superior. Sendo a época Triássica Inferior a mais antiga e a época Triássica Superior a mais recente.

O período Permiano resultou no secamento de todas as lagoas, as quais resultaram em sedimentos arenosos na região que hoje é a América do Sul. É, inclusive, esta a origem do Aquífero Guarani, um dos maiores reservatórios de água doce submerso que existe no mundo e está localizado no Brasil.

Enquanto havia a Pangéia, o clima era bem definido pela influência dos mares em uma única porção de terra existente. Por se tratar de um continente muito extenso e envolto por água por todos os lados, a temperatura nas regiões litorâneas eram mais amenas do que no interior da Pangéia. Quanto mais se interiorizava no território mais seco e quente se tornava o clima, até ocorrer a formação de desertos. O período Triássico conheceu o início de uma nova condição em decorrência da fragmentação da Pangéia. A temperatura do período era o dobro das médias atuais e o clima era mais quente e seco. Não há registros ou indícios de que houvesse condições glaciais nas proximidades dos pólos do período. O clima dos pólos se aproximava de uma condição úmida e temperado, já que o momento favorecia ao crescimento de florestas. As gimnospermas começaram a substituir as pteridospermas. Sob essas características, os répteis representavam a espécie dominante, uma vez que tudo favorecia a sua proliferação.

A nova constituição geológica do período propiciou ao aparecimento de arenito, o que resultou em grandes reservas de carvão encontradas atualmente no mundo. A fauna do período Triássico recuperou-se de uma extinção ocorrida no período anterior, Permiana. Com os répteis dominando o mundo, surgiram os primeiros dinossauros, mas com características bem diferentes daqueles que viriam nos períodos seguintes, já que eram quadrúpedes e mais baixos. Mas é também no Triássico que surge o primeiro mamífero.

Nos mares, era também os répteis a espécie dominante. Mas a ocorrência de uma nova radiação fez surgir novos tipos de corais e pequenos recifes.

O período Triássico foi sucedido pelo período Jurássico.