Rio Nilo

O rio Nilo é um dos maiores rios do mundo, com cerca de 6.650 km de extensão. Localiza-se na porção nordeste do continente africano. Sua nascente é o rio Kagera, em Burundi, que desemboca no lago Vitória, em Uganda. Do lago Vitória, o Nilo segue por Uganda, Sudão do Sul e Sudão. Recebe o nome de Nilo Branco ao sair do Sudão do Sul, e na cidade de Cartum (capital do Sudão) se une ao Nilo Azul, depois recebe o rio Atbara. Então o Nilo prossegue até o Cairo, no Egito, onde forma o Delta do Nilo, que deságua no Mar Mediterrâneo.

Foto de satélite do Rio Nilo. Foto: Jeff Schmaltz / NASA / GSFC.

Foto de satélite do Rio Nilo. Foto: Jeff Schmaltz / NASA / GSFC.

O Delta do Nilo é uma planície com forma triangular, onde o Nilo bifurca-se em dois canais principais que levam suas águas ao Mediterrâneo: o canal de Roseta e o de Diameta. Essa região é densamente povoada.

A bacia hidrográfica do Nilo ocupa uma área 3.349.000 km², abrange os territórios de Uganda, Tanzânia, Ruanda, Quênia, República Democrática do Congo, Burundi, Sudão, Etiópia e Egito.

Rio Nilo. Foto: Nemar74 / Shutterstock.com

Rio Nilo. Foto: Nemar74 / Shutterstock.com

Importância histórica e econômica do Nilo

O Nilo foi fundamental para o desenvolvimento da sociedade egípcia. Uma grande quantidade de peixes era encontrada no Nilo, levando os egípcios a desenvolverem técnicas de pesca. Nos períodos de cheia as águas do rio depositavam grande quantidade de sedimentos nas margens, deixando o solo fértil e apropriado para o desenvolvimento da agricultura. Através do Nilo os egípcios também transportavam suas mercadorias. Atualmente o Nilo ainda é muito importante para os países banhados por ele, principalmente para o Egito.

Entre os peixes encontrados no Nilo estão a perca do Nilo, bagre, enguia, tilápia e peixe-tigre. Entre os répteis destaca-se o crocodilo do Nilo (Crocodylus niloticus).

Apesar de sua importância, o Nilo tem sofrido com sérios impactos ambientais. Em 1970 foi concluída a construção da barragem de Assuã, que deu origem a um gigantesco reservatório chamado de Lago Nasser. O empreendimento seria responsável por controlar as cheias do Nilo e por gerar energia elétrica. A barragem alterou o regime natural do rio, impedindo a fertilização natural do solo e levando ao uso de fertilizantes artificiais. Além disso, a construção da barragem causou outros malefícios, como a erosão no Delta do Nilo e o desaparecimento de uma enorme quantidade de peixes.

Outo problema é a poluição das águas do Nilo, causada pelos resíduos industriais e principalmente pelos resíduos dos hotéis flutuantes que realizam passeios turísticos pelo Nilo. Essa poluição tem causado uma redução significativa da biodiversidade aquática.

Referências
https://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_Nilo
http://www.lamma.ufrj.br/sites/spo/atlasul/documentos/curiosidades/barragem_aswn.htm

Arquivado em: Hidrografia