Hidróxido de Amônio

Por Mayara Lopes Cardoso
hidróxido de amônio é uma base fraca representada pela fórmula química NH4OH, único composto desse grupo que não possui metal em sua composição. Essa substância é um produto da ionização da amônia e, por isso, existe somente em solução aquosa (base solúvel), como na reação:

O hidróxido de amônio é um composto altamente volátil, incolor, de cheiro amargo e fortemente penetrante, se decompõe a temperaturas a partir de 450°C e libera os gases hidrogênio e nitrogênio, tóxico, corrosivo, sensível ao calor e incompatível com vários tipos de substâncias como, por exemplo, ácidos, oxidantes fortes, peróxidos, acroleína, aldeído acético, hidrazina, ferrocianeto de potássio e grande parte dos metais.

O hidróxido de amônio é utilizado como reagente pela indústria química na produção de tinturas de cabelo, produtos branqueadores de tecidos, fertilizantes agrícolas, explosivos, borrachas, couro, sabão amoniacal, lubrificantes, cerâmicas e detergentes. Também é aplicado na fabricação de cosméticos, medicamentos, aditivos alimentícios e em outros processos como tratamento de efluentes, saponificação de óleos e gorduras, produção de filmes e revelações fotográficas.

Essa substância é extremamente nociva à saúde humana. Por liberar amônia, o hidróxido de amônio é sufocante e bastante irritante aos olhos, pele, mucosas e aparelho respiratório superior. A intensidade dos efeitos provocados pelo composto depende o tempo de exposição e podem variar de leves irritações até sérias lesões. Se inalado, pode provocar dificuldades respiratórias, queimaduras, espasmo brônquico, edema pulmonar, retenção da urina, entre outras desordens; o contato com a pele e olhos pode ocasionar dor, rubor, irritação e até queimaduras graves; se inegerido, pode causar uma corrosão do esôfago e inflamação do peritônio (camada serosa responsável pela redução do atrito entre as vísceras), tendo como sintomas: dores na boca, no tórax e no abdômem, vômitos, tosse e desmaio.

Repetidas exposições ao hidróxido de amônio geralmente causam tosse, respiração ruidosa e ofegante, laringite e bronquite crônica. Os principais órgãos afetados pela contaminação por esse produto são o estômago e os pulmões. O hidróxido de amônio não é tido como uma substância cancerígena.

Referências:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Hidróxido_de_amônio
http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/lab_virtual/fispq_hidroxidodeamonio.html
http://www.qca.ibilce.unesp.br/prevencao/produtos/hidroxido_amonio.html