Abstracionismo

Mestre em Artes Visuais (UDESC, 2010)
Graduada em Licenciatura em Desenho e Plástica (UFSM, 2008)

Abstracionismo atribui-se a toda forma de representação bidimensional ou tridimensional, não subordinado pela figuração ou imitação da natureza. No âmbito da Artes Visuais, o termo Arte Abstrata está relacionado as vanguardas da primeira metade do século XX. Em vista disso, provocou muita indignação entre os apreciadores de arte mais tradicionais. A Arte Abstrata, assim como muitas outras vanguardas da Arte Moderna, era considerada de extremo mau gosto pela elite que ainda preferia ver nas pinturas e nas esculturas algo que representasse a realidade e de preferência que promovessem ideais clássicos e perfeição artística.

A Arte Abstrata tinha o objetivo de encontrar uma nova forma de expressão plástica, distanciada das formas figurativas ou representação da natureza. Caracteriza-se pela decomposição da figura, simplificação da forma, novo uso das cores e descarte da perspectiva ou técnicas de modelagem. É possível dizer que a origem do Abstracionismo remonta alguns movimentos como o Suprematismo, o Construtivismo, o Neoplasticismo e o Expressionismo Abstrato, muito embora os artistas desses movimentos fizessem abstrações, eles evitavam falar em abstracionismo, tendo percebido que soaria impróprio para a época.

Wassili Kandinsky é considerado o pioneiro na criação de pinturas nesse formato. Suas pinceladas vigorosas de cores fortes eram orientadas pelo misticismo, apoiado na Teosofia. Outro artista que ganhou grande destaque nesse panorama foi Piet Mondrian. Suas pinturas, também, tiveram grande influência mística da Teosofia e eram marcadas pelo rigor geométrico, linhas retas e cores vibrantes. Além de Mondrian, destacou-se nesse período Kasimir Malevich como um dos maiores expoentes do abstracionismo geométrico. Malevich foi o fundador do Suprematismo e levou o abstracionismo a sua forma mais simples, buscando a pureza plástica, como é possível ver em “Quadrado Branco sobre Fundo Branco” de 1918.

Além dessa vertente mais geométrica da Arte Abstrata, outra vertente também foi significativa nesse cenário, foi o Expressionismo Abstrato, também conhecido como Action Painting, caracterizado pela busca no inconsciente de símbolos de valor universal. Este foi o primeiro movimento que se originou nos Estados Unidos e ganhou reconhecimento internacional. Jackson Pollock tornou-se conhecido pela sua forma de pintura singular, lançando ou gotejando de forma dramática a tinta que escoria sobre a tela, métodos revolucionários e incomuns para a época.

No Brasil a Arte Abstrata ganhou visibilidade na I Bienal de São Paulo em 1951 e teve como alguns expoentes: Iberê Camargo, Lígia Clarck e Hélio Oiticica.

Referências:

ABSTRACIONISMO . In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2018. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/termo347/abstracionismo>. Acesso em: 30 de Mar. 2018.

CHILVERS, Ian (org.). Dicionário Oxford de arte. Tradução Marcelo Brandão Cipolla. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001. 584 p.

LITTLE, Stephen. ...ismos: para entender a arte. Brasil, Ed. Globo, 2011.

MICHELI, Mario de. As vanguardas artísticas. Martins Fontes, São Paulo, 2004.

Arquivado em: Artes, Pintura