Cânfora

Nativa das regiões do Extremo Oriente, a canforeira é uma planta medicinal, cujo nome científico é Cinnamomum camphora. Da seiva dessa planta é extraída a cânfora, composto químico de fórmula C10H16O, de cor branca cristalina, aroma característico, sabor levemente amargo, volátil à temperatura ambiente, pertencente à família das cetonas.

A extração da cânfora é feita através da destilação a vapor de partes da canforeira, como a madeira do tronco, galhos e folhas. Também é possível obter essa substância a partir da oxidação do alfa-pineno, composto orgânico que faz parte do grupo dos terpenos.

A cânfora é pouco solúvel em água, mas dissolve-se facilmente em álcool, éter e outros solventes orgânicos. Devido ao forte aroma, a solução de cânfora e álcool pode ser utilizada como repelente de insetos, principalmente traças e baratas.

No final do século XIX, a cânfora passou a ser usada na produção do celuloide, matéria prima na fabricação películas e filmes fotográficos. Na indústria química, utiliza-se a essência de cânfora na produção de pólvora, sabonetes, cremes, loções e outros cosméticos para conferir um aroma agradável e camuflar o odor de determinados ingredientes.

Desde a Idade Antiga, a cânfora é conhecida e aplicada à Medicina. A substância detém diversas propriedades terapêuticas:

  • é antisséptica e, por isso, usada no tratamento de frieiras, ferimentos e na produção de sabões;
  • sob a forma de solução alcoólica, é muito utilizada para o tratamento de contusões , dores musculares, artrite e reumatismo, devido às características anestésicas e levemente analgésicas;
  • atua sobre sistema respiratório, melhorando os movimentos de respiração sem interferir no ritmo;
  • é expectorante, indicada no tratamento de tosses, resfriados e bronquite;
  • estimula a ação do músculo cardíaco e reforça a sístole, o que beneficia a circulação sanguínea;
  • pelas propriedades estimulantes, age o sistema nervoso central, aliviando o estresse;
  • também é usada no controle de hemorragias do útero e como vermífugo natural, dentre muitas outras aplicações

O uso da cânfora deve ser feito de forma moderada, a superexposição a essa substância pode causar efeitos adversos, como, convulsões, vômitos e febre , principalmente em crianças, que são mais susceptíveis.

Referências:
http://www.mundodosoleos.com/oleo-de-canfora-caixa-com-10-frascos-de-50ml
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/equilibrio/eq3004200916.htm
http://oleosaromaticos.blogspot.com.br/2013/01/canfora.html

Arquivado em: Compostos Químicos