Cresol

Também conhecidos como ácidos de alcatrão, os cresóis são compostos orgânicos representados pela fórmula química C7H8O, pertencentes ao grupo dos fenóis. Trata-se de substâncias sólidas em seu estado puro, incolores, de cheiro característico semelhante ao de medicamentos, baixos pontos de fusão e ebulição, de propriedades ácidas e pouco solúveis em água.

Existem três formas isômeras do cresol: o orto-cresol (o-cresol ou 2-metil-fenol), o meta-cresol (m-cresol ou 3-metil-fenol) e o para-cresol (p-cresol ou 4-metil-fenol), que se diferem apenas pela posição do radical metil (CH3) no anel aromático e podem ser encontradas separadamente ou combinadas. Estes isômeros também possuem propriedades diferentes, como, por exemplo, o ponto de fusão, que do o-cresol é de 31 °C, 10,9 °C do m-cresol e 34 °C do p-cresol.

Na natureza, os cresóis são encontrados no suor humano, na madeira, tabaco, óleo cru, alguns alimentos e em certas soluções de coloração marrom. Na indústria, tais compostos são isolados do óleo do alcatrão da hulha e são utilizados na fabricação de explosivos, solventes, corantes, pesticidas, resinas sintéticas, materiais de construção, antioxidantes, desodorantes, tintas, perfumes e fragrâncias, além de atuarem como catalisadores em determinadas reações químicas. Devido ao seu caráter repelente, os cresóis são aplicados à produção de conservantes de madeira, impedindo o contato de insetos que podem degradá-la. Soluções aquosas de cresóis são largamente utilizadas como desinfetantes, como é o caso da creolina e do lisol (emulsão de cresóis em sabão). A degradação da matéria orgânica por microrganismos também produz cresóis.

Os cresóis são substâncias estáveis, corrosivas, tóxicas e inflamáveis, sendo o meta-cresol a forma mais tóxica. A ingestão dessa substância provoca irritação do trato digestório, vômito e dores abdominais; se inalado, pode causar irritação do sistema gastrintestinal e do aparelho respiratório; o contato com a pele e os olhos ocasiona inflamação, irritação, além de danos aos tecidos, córneas e até cegueira. Exposições extremas aos cresóis podem acarretar em lesões cardíacas, hepáticas e renais, paralisia facial, anemia, coma e óbito.

Referências:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cresol
http://www2.iq.unesp.br/FICHA-SEGURANCA/CRESOL.pdf

Arquivado em: Compostos Químicos