Língua Suaíli

O suaíli ou suaíle, igualmente denominado swahili, é o vernáculo banto ao qual recorre o maior percentual de africanos e de descendentes. Esta língua, adotada oficialmente no Quênia, na Tanzânia e em Uganda, é vastamente utilizada em toda a região litorânea que se estende do sul da Somália a Moçambique, particularmente na República Democrática do Congo, Burundi, Ruanda, Zâmbia e no sul da Etiópia, totalizando cinquenta milhões de falantes em todo o Planeta.

O idioma, que integra o subgrupo sabaki no interior dos vernáculos banto, é igualmente usado por alguns grupos localizados em Madagascar e nas Ilhas Comores, e é um dos mais atuantes na União Africana. Apesar disso, boa parte das pessoas que se expressam no Suaíli não a utiliza como língua materna.

Por viverem no litoral, os suaílis tiveram um convívio próximo com comunidades de além-mar desde eras primevas. Ocupantes de idioma árabe, procedentes de Omã, invadiram uma porção significativa das suas terras no século XI d. C., particularmente as ilhas de Zanzibar e Pemba, além de vários portos essenciais de Mombaça.

Como resultado, esta língua engloba diversas incorporações lexicais do vernáculo árabe. O desenvolvimento do suaíli enquanto idioma mercantil teve início no século XIII. A partir do século XIX os gestores de Zanzibar enviaram grupos de comerciantes à região interiorana da África e lá eles atingiram o território dos Grandes Lagos.

Nesta região os suaílis desenvolveram itinerários definitivos para o comércio, e aí o idioma suaíli transformou-se em língua franca, ou seja, como segundo vernáculo destinado unicamente à atividade de intercâmbio de produtos.  Em 1866 os germânicos ocuparam Tanganica, área que hoje abriga a Tanzânia, e então se deram conta do potencial deste meio de expressão nas atividades comerciais e a assumiram igualmente como o sistema de representações vigente no âmbito da gestão colonial.

Atualmente o suaíli é tão disseminado enquanto idioma franco na porção oriental do continente africano, quanto o haussa na região ocidental, embora esta língua seja falada por um maior número de nativos do que por pessoas que a adotem como segundo vernáculo, ao contrário do que ocorre com o suaíli, amplamente propagado entre outros falantes.

Na Tanzânia e no Quênia este idioma é vastamente utilizado e 90 % de seus habitantes têm conhecimento de seu léxico. Ele está presente na educação, na mídia e na esfera literária. A expressão Hakuna Matata, tão conhecida hoje por sua utilização na animação O Rei Leão, é de origem suaíli, e tem o sentido de ‘sem problemas’.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADngua_sua%C3%ADli
http://www.tumblr.com/tagged/hakuna-matata?before=1300047324
http://www10.gencat.net/pres_casa_llengues/AppJava/frontend/llengues_detall.jsp?id=105&idioma=16

Arquivado em: Comunicação, Cultura