Arbovírus

Graduado em Ciências Biológicas (UNIFESO, 2014)

Ouça este artigo:

Arbovírus é o nome dado ao grupo de vírus que são mais comumente transmitidos para a espécie humana através da picada de algum inseto, geralmente hematófagos (que se alimentam de sangue). Entretanto, esses vírus também podem ser transmitidos por alguns roedores selvagens, não havendo ocorrência de transmissão entre humanos. As doenças causadas pelos arbovírus também podem acometer outros animais, como é o caso da febre amarela nos macacos. Os sinais e sintomas que caracterizam a contaminação são a dor de cabeça intensa, febre, erupções na pele, dor nas juntas dos ossos (artralgia) e dores musculares.

Esses vírus estão divididos em três famílias diferentes:

  • Família Flaviviridae: possui 39 tipos, dentre eles o vírus a dengue e o vírus causador da febre do Nilo. Esse grupo infecta tanto insetos, como mamíferos.
  • Família Togaviridae: subdividido no gênero Alphavirus, composto por 40 tipos, entre eles o vírus Mayaro e o vírus encefalite equina do leste (EEEV), e no gênero Rubivirus, que possui somente o vírus causador da rubéola. Esse grupo também infecta humanos e insetos.
  • Família Bunyaviridae: composto por 5 gêneros - Orthobunyavirus, Phlebovirus, Nairovirus, Hantavirus e Tospovirus. Os quatro primeiros são agentes patogênicos de vários grupos de animais e o último possui agentes danosos aos vegetais. A transmissão dessa família de vírus é através da picada de invertebrados, em especial mosquitos e carrapatos, porém o hantavírus é transmitido por aerossóis provenientes da urina e de outros excrementos de alguns roedores.

As doenças mais conhecidas causadas pelos arbovírus, especialmente no Brasil, são a zika, a dengue, a febre de chikungunya e a febre amarela. Essas doenças são transmitidas por picada de mosquito, especificamente das espécies Aedes aegypti e Aedes albopictus.

O zika vírus causa febre baixa ou até mesmo inexistente, dores brandas nas articulações e manchas vermelhas que podem coçar. A doença ganhou destaque nos últimos anos ao acometer mulheres grávidas e gerar danos graves aos recém nascidos. Nesse tipo de transmissão, o vírus rompe a barreira transplacentária, passando da mãe para o feto, causando a microcefalia no bebê.

Já a dengue é uma doença que ataca as plaquetas, podendo causar hemorragia quando em suas complicações. O vírus possui quatro variantes que causam febre alta, que pode durar de 7 a 14 dias, e dores no corpo. Medicamentos que contêm ácido acetilsalicílico não devem ser tomados quando há confirmação ou suspeita de dengue, pois agem como anticoagulante agravando o quadro de hemorragia.

A febre de chikungunya causa febre alta, manchas vermelhas pelo corpo e dores fortes nas articulações, principalmente as presentes nas extremidades do corpo, como pés e mãos.

A febre amarela possui duas variações: a silvestre, que acomete mais os macacos, e a urbana, que ocorre mais na espécie humana e é transmitida através da picada do Aedes aegypti. Os sintomas são constituídos por febre que pode ou não ser alta, dores na cabeça e no corpo, cansaço e fraqueza, além de enjoo e vômitos. Em caso de complicações a pessoa pode ficar com a cor amarelada nos olhos e na pele, ter hemorragia e insuficiência de vários órgãos.

A febre amarela possui vacina, sendo esta recomendada para pessoas de até 60 anos de idade que moram em área de risco de contaminação da doença ou que viajarão para estes locais de risco. Entretanto, as outras arboviroses não possuem vacina ou medicamentos eficazes que combatam seus sintomas. Por conta disso, é importante a prevenção, principalmente reduzindo a proliferação dos mosquitos vetores, evitando o armazenamento de água parada ao ar livre, por exemplo, e tomando cuidado ao adentrar áreas de mata.

Referências:

http://www.saude.ba.gov.br/suvisa/vigilancia-epidemiologica/doencas-de-transmissao-vetorial/arboviroses-dengue-chikungunya-zika-e-febre-amarela/

https://www.saude.gov.br/informes-de-arboviroses

http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-62232014000300007

https://www.bio.fiocruz.br/index.php/br/zika-sintomas-transmissao-e-prevencao

http://www.iff.fiocruz.br/index.php/8-noticias/207-viruszika

http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/dengue

https://www.bio.fiocruz.br/index.php/br/chikungunya-sintomas-transmissao-e-prevencao

https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/febre-amarela-sintomas-transmissao-e-prevencao

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Doenças