Ameaças à Floresta Amazônica

Mestrado em Ciências Biológicas (INPA, 2015)
Graduação em Ciências Biológicas (UFAC, 2013)

A constante expansão de uso do solo para fins agrícolas é uma fator que gera grandes impactos e problemas ecológicos. Os grandes projetos de mineradoras e a construção de hidrelétricas contribuem para desequilíbrios ecossistêmicos. O bioma Amazônia detém uma das últimas grandes reservas de madeira tropical do mundo. O processo de degradação da Amazônia é, principalmente, devido a exploração desordenada de madeira.

O desmatamento e a extensão dos incêndios florestais na região amazônica despertou toda a atenção global no ano de 2019. Os ventos trouxeram a fumaça dos incêndios para a região sudeste do país e na cidade de São Paulo, acumulou uma camada espessa de fumaça que foi de encontro com o ar úmido soprado da costa oceânica. O céu da tarde ficou escuro e foi necessário acender as luzes da rua três horas mais cedo do que o normal para que a cidade continuasse funcionando. Este evento despertou o interesse não só dos brasileiros mas do mundo, para a realidade da destruição funcional que o bioma Amazônia apresenta hoje.

Fogo em trecho da Floresta Amazônica. Foto: Pedarilhos / Shutterstock.com

O ciclo hidrológico da Amazônia depende diretamente da evapotranspiração da floresta. Por toda a bacia amazônica o ar sobe, esfria e precipita água do rio no sistema amazônico. Toda esta umidade é parte integrante e central do sistema climático continental. A umidade da Amazônia garante benefícios específicos para a agricultura brasileira além de todos os países da América do Sul se beneficiarem da umidade amazônica, exceto o Chile que é impedido de receber essa umidade por causa do muro alto dos Andes.

O desmatamento afeta diretamente a existência dos ciclos hidrológicos essências nas regiões tropicais da Amazônia. Em um cenário onde a terra é desmatada, a evapotranspiração e possibilidade da reciclagem da umidade relativa do ar é consideravelmente afetada. A água da chuva escorre e escoa não ficando disponível para reciclagem do ciclo hidrológico. O desmatamento é uma grande ameaça a funcionalidade da floresta amazônica em termos de serviços ambientais, além de modificar profundamente a paisagem florestal.

A redução das chuvas e o aumento da temperatura global combinado com o uso extensivo de fogo e o desmatamento estão gerando paisagens savânicas na Amazônia. As estações secas nas regiões amazônicas já são mais quentes e mais longas (frequência crescente de secas sem precedentes em 2005, 2010, 2015 e 2016). A perda de floresta levará a perda de diversidade biológica, carbono e bem estar humano. As taxas de mortalidade de espécies de clima úmido aumentam, enquanto as espécies de clima seco estão mostrando resiliência. O desmatamento atual é de 17% em toda a bacia amazônica, se aproximando dos 20% na Amazônia brasileira.

Área desmatada ilegalmente na Floresta Amazônica. Foto: marcio isensee / Shutterstock.com

A reconstrução do ciclo hidrológico na Amazônia é base para que continue servindo como um volante do clima continental para o planeta e parte essencial do ciclo global do carbono como há milênios. Para isso, a floresta não pode mais suportar desmatamentos. As áreas desmatadas da Amazônia são grandes áreas de pastos abandonados e áreas de cultivo. O lançamento de um grande projeto de reflorestamento, especialmente no sul e leste da Amazônia é um cenário que pode levar a floresta continuar mantendo seus serviços ambientais.

Uma visão que poderia melhorar o debate e a discussão sobre todas as questões que ameaçam a floresta amazônica, poderia ser a construção moderna da Amazônia, o que incluiria elementos inovadores como bioeconomias lucrativas através do uso sensato de florestas em pé. O aproveitamento de energia dos grandes rios e colheita sustentável de ativos biológicos e biomiméticos na biodiversidade amazônica.

A cooperação entre os povos e líderes dos países amazônicos podem evitar um desastre ambiental em escala continental. Ações como esta podem inclinar a direção da mudança em favor de uma Amazônia sustentável.

Leia também:

Referências bibliográficas:

http://ispn.org.br/biomas/amazonia/ameacas-a-amazonia/ acessado em 27/12/2019

Lovejoy T. E., and Nobre, C. Amazon tipping point: Last chance for action. Editorial, Science Policy, Science Advances. Vol. 5, No. 12. 2019

Arquivado em: Ecologia