Diferença entre energia sustentável, renovável e limpa

Mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais (UFAC, 2015)
Graduada em Ciências Biológicas (UFAC, 2011)

A energia é um fator fundamental para satisfazer grande parte das necessidades do homem, pois praticamente todas as atividades realizadas pelo homem moderno requerem o uso de energia. Ao longo da evolução das sociedades várias tecnologias foram e ainda continuam sendo desenvolvidas com o objetivo de utilizar diferentes fontes de energia. A busca por energias sustentáveis, renováveis e limpas tem sido constante nos últimos anos, e embora estes termos pareçam sinônimos, existem algumas diferenças entre eles. Uma energia classificada como renovável ou limpa não é necessariamente uma energia sustentável.

A energia sustentável é a que é utilizada em uma quantidade e velocidade nas quais a natureza pode repô-la, ou seja, há um equilíbrio entre a produção e o consumo de energia. Esta energia deve ser compatível com o desenvolvimento social e econômico e com a preservação do meio ambiente. A energia hidrelétrica, por exemplo, é obtida através do aproveitamento do potencial hidráulico de um rio, portanto utiliza a força da água, um recurso que está constantemente repondo-se na natureza. Porém, uma usina hidrelétrica pode impactar severamente o meio ambiente, modificando o curso do rio e causando prejuízos à fauna, flora e à vida humana e por isso geralmente não é considerada sustentável.

Usina hidrelétrica de Itaipu, no Rio Paraná, fronteira entre o Brasil e Paraguai. Não é considerada uma fonte de energia sustentável em razão dos grandes impactos ambientais. Foto: Mykola Gomeniuk / Shutterstock.com

Outro exemplo é a lenha, que provavelmente é o produto energético mais antigo utilizado pelo homem. Seu uso como fonte de energia será sustentável quando a madeira for cultivada para este fim, através de um manejo florestal adequado, e quando houver controle dos poluentes liberados durante sua queima. A energia solar e a eólica podem ser consideradas sustentáveis desde que sejam desenvolvidas a partir de uma visão integrada de eficiência econômica, ambiental e social.

A energia renovável é aquela obtida a partir de fontes naturais capazes de serem renovadas, por isso estão sempre disponíveis para utilização e não se esgotam. Este conceito se opõe ao da energia não renovável, gerada por combustíveis fósseis, os quais existem na natureza em quantidades limitadas, como o petróleo, gás natural e carvão mineral. Destacam-se entre as energias renováveis a energia solar, proveniente da luz do sol e utilizada como energia térmica ou elétrica, e a energia eólica (energia dos ventos). A energia hidrelétrica e a obtida a partir da lenha são exemplos de energias renováveis, já que utilizam recursos que são naturalmente reabastecidos, mas isso não significa que estas fontes de energia sejam limpas.

Define-se como energia limpa aquela que não polui ou que polui bem menos que as demais. É aquela que não libera gases poluentes geradores do efeito estufa, sendo a energia solar e a energia eólica os exemplos mais comuns. Não significa que este tipo de energia não cause impactos ambientais, mas sim que esses impactos são bem menores e podem ser mitigados mais facilmente. Por exemplo, o uso da energia solar tem como impactos negativos a geração de resíduos durante o processo de fabricação dos componentes do sistema e quando a vida útil destes aparelhos chega ao fim, outro fator negativo é a alteração de áreas usadas para a instalação dos sistemas. No entanto, através de algumas medidas é possível atenuar estes impactos.

Referências:

Um futuro com energia sustentável: iluminando o caminho. São Paulo: FAPESP, 2010. Disponível em: <http://www.fapesp.br/publicacoes/energia.pdf>

Campioni, P. S. Diferenças entre energias renováveis e limpas: Afinal, existe diferença entre elas? Disponível em: <http://greenbras.com/uncategorized/diferencas-entre-energias-renovaveis-e-limpas-afinal-existe-diferenca-entre-elas/>