Moda sustentável

Mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais (UFAC, 2015)
Graduada em Ciências Biológicas (UFAC, 2011)

O mercado da moda é caracterizado pelo curto ciclo de vida dos produtos, pois a cada estação novas peças são apresentadas, fazendo com que os produtos da estação anterior, estando ou não bem conservados, sejam descartados por não estarem mais “na moda”. A indústria da moda é uma das que mais poluem o meio ambiente, desde as etapas de fabricação dos produtos até o seu descarte. Surgiu então a necessidade de buscar alternativas para que esse setor continue produzindo, mas sem agredir a natureza.

A moda sustentável é baseada na preservação do meio ambiente em todas as suas etapas de produção, buscando, por exemplo, reduzir a quantidade de poluentes usados na fabricação dos produtos e minimizando a retirada de matérias-primas da natureza. Existem várias maneiras pelas quais a moda pode ser sustentável, mas é importante sempre levar em consideração os aspectos sociais, econômicos e ambientais.

Foto: Puput / Shutterstock.com

A escolha das matérias-primas é um ponto importante da moda sustentável. Nesse caso, o ideal é que sejam utilizadas fibras biodegradáveis e produzidas de maneira sustentável, sem o uso de pesticidas ou outros produtos tóxicos. A fabricação de tecidos a partir de fibras sintéticas (poliéster, viscose, nylon, etc.) necessita de uma grande quantidade de produtos químicos, os quais poluem o meio ambiente. Já os tecidos naturais, como a lã, seda e algodão, não necessitam de tantos produtos químicos durante seu processo de fabricação.

O uso algodão orgânico em substituição ao algodão comum é uma forma de reduzir a poluição. No cultivo desse algodão utilizam-se métodos naturais de controle das pragas, ervas daninhas e doenças. Pode-se também optar pela utilização de fibras recicladas, provenientes dos resíduos da própria produção ou dos resíduos pós-consumo, e de fibras e outras matérias-primas de qualidade, que garantem uma maior durabilidade do produto e evitam que ele seja descartado rapidamente.

Outras práticas importantes para integrar moda e sustentabilidade são: uso eficiente dos recursos hídricos, tanto na fabricação dos produtos como no cultivo da matéria-prima; utilização de corantes naturais, como os extraídos da matéria vegetal; realizar o tratamento adequado dos efluentes provenientes dos processos de fabricação; reduzir o desperdício dos tecidos durante as etapas de corte e costura; respeitar os direitos e garantir o bem-estar dos trabalhadores; priorizar a produção em pequena escala e não a produção em massa, na qual ocorre a produção de uma grande quantidade de peças geralmente de baixa qualidade.

Praticar a sustentabilidade é um desafio para o ramo da moda, visto que este é um setor que visa a produção e o consumo desenfreado, mas algumas marcas já estão voltadas especificamente para a criação de roupas sustentáveis. É o caso da H&M, que lançou coleções de roupas feitas com materiais mais sustentáveis e alguns tecidos reciclados. Outro exemplo é a marca brasileira Osklen, que utiliza materiais como seda orgânica, algodão orgânico, PET reciclado e tecidos recicláveis.

A moda sustentável envolve também o consumo sustentável, ou seja, o comportamento dos consumidores é fundamental para o desenvolvimento deste novo conceito de moda. A sociedade consumidora deve estar bem informada sobre os impactos ambientais e sociais da fabricação, consumo e do descarte das peças. Mas infelizmente os consumidores enfrentam algumas dificuldades para adquirir peças sustentáveis, principalmente pelos preços, que geralmente são elevados, pela oferta limitada de peças e porque muitas vezes os produtos são pouco atraentes.

Por isso o consumidor consciente, além de valorizar e optar por peças produzidas de forma sustentável, deve adotar outras atitudes importantes, como: comprar menos, investir em peças duráveis, consertar peças danificadas, doar, trocar, compartilhar e customizar peças.

Referências:

Araújo, M. B. M.; Broega, A. C.; Ribeiro, S. M. Sustentabilidade na moda e o consumo consciente. In: XIX Seminário acadêmico APEC - O local, o global e o trasnacional na produção acadêmica contemporânea, 2014, Barcelona.

Galleli, B., Sutter, M. B., MacLennan, M. L. F., Polo, E. F., & Correa, H. L. Sustentabilidade na moda brasileira: oportunidades e desafios no mercado internacional. Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 9, n. 3, p. 45-62, 2016.