Fontes de energia renováveis no Brasil

Mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais (UFAC, 2015)
Graduada em Ciências Biológicas (UFAC, 2011)

Devido aos impactos negativos causados pelo uso de combustíveis fósseis, o Brasil vem buscando a ampliação de sua matriz energética, investindo em fontes de energia renováveis, aquelas geradas a partir de recursos naturais capazes de se regenerar. O país se destaca por possuir uma matriz energética predominantemente renovável. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, em 2016 a participação de fontes renováveis na matriz energética brasileira foi de 43,5%. Considerando apenas a geração de energia elétrica, a participação de renováveis no Brasil totalizou 81,7%, enquanto o índice mundial é de pouco mais de 20%.

No setor elétrico brasileiro, a principal fonte utilizada é a hidráulica, correspondendo a 68,1% da matriz elétrica. Historicamente o país vem investindo muito em hidrelétricas, devido principalmente à abundância de recursos hídricos. Atualmente cerca de 196 usinas hidrelétricas estão em operação no país (desconsiderando as pequenas centrais hidrelétricas e as centrais geradoras hidrelétricas), e a tendência é que este número cresça nos próximos anos.

A biomassa tem uma participação importante na matriz energética do país, com uma colaboração de 8,2% na oferta de energia elétrica. Dentro da categoria de biomassa, a cana-de-açúcar é a fonte mais representativa, utilizada para a produção de etanol e eletricidade.

A energia eólica tem crescido muito nos últimos anos. Em 2016 este setor apresentou um aumento de 55% na produção de eletricidade em relação ao ano anterior, representando 5,4% da matriz elétrica brasileira. Os estados que se destacam na produção de energia eólica são: Rio Grande do Norte, Bahia, Ceará, Rio Grande do Sul e Piauí. Entretanto, considerando a excelente qualidade de ventos, principalmente no Nordeste, o aproveitamento eólico no Brasil ainda é reduzido.

O Brasil possui um elevado potencial para gerar energia elétrica a partir da fonte solar, pois dispõe de atos níveis de irradiação solar. Mas este recurso é muito pouco utilizado. Em 2016 apenas 0,01% do total de energia elétrica gerada no país foi proveniente da energia solar. Para termos uma ideia, neste período o Brasil possuía 81 MW de energia solar fotovoltaica instalados, não ficando entre os vinte países líderes mundiais, todos com capacidade de produção instalada superior a 1GW.

Usina hidrelétrica de Itaipu, no Rio Paraná, fronteira entre o Brasil e Paraguai. Não é considerada uma fonte de energia sustentável em razão dos grandes impactos ambientais. Foto: Mykola Gomeniuk / Shutterstock.com

O Brasil é referência no uso de fontes de energia renováveis, mas é fortemente dependente das hidrelétricas, o que leva a uma dependência do regime de chuvas. O país dispõe de um elevado potencial para o desenvolvimento de energias renováveis, porém este potencial ainda é pouco explorado. O investimento em fontes renováveis alternativas contribuiria para expandir a oferta de energia com menores impactos ambientais e para complementar o sistema elétrico, principalmente no período de seca, quando as hidrelétricas produzem menos.

Referências:

Galdino, M. A. E. et al. O contexto das energias renováveis no Brasil. Revista da Direng, 2000.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia (MME). Balanço energético nacional 2017 – ano base 2016: relatório final. Brasília, 2017.