Catalunha

A Catalunha é uma comunidade autônoma espanhola, com o status oficial de “nacionalidade”. O território compreende quatro províncias: Barcelona, Girona, Lleida, e arragona. A capital e maior cidade é Barcelona, que também é a segunda maior cidade de toda a Espanha, depois de Madrid. Catalunha cobre uma área de cerca de 32.000 km² e tem uma população oficial de 7.535.251 habitantes. Compreende a maior parte do que foi o território do na extinto Principado da Catalunha, sendo o resto da região agora pertencente ao sul da França. A comunidade faz fronteira com a França e com Andorra ao norte, e com o Mar Mediterrâneo ao leste, com uma costa de 580 km. As línguas oficiais são o catalão, o espanhol e o aranês.

As primeiras povoações do território, datam da era Paleolítica, com sítios arqueológicos identificando um pré-Neandertal de mais de 25.000 anos de idade. A colonização que povoou a região foi um processo que ocorreu na Idade Antiga, em duas etapas, a primeira com gregos e cartagineses, e a segunda fase remonta a colonização romana da Catalunha, que teve princípio em 218 a.C. A região foi anexada para fazer parte de uma antiga província romana chamada Hispânia Citerior, para que, em 27 a.C., desse origem à província de Tarraconense, cuja capital era Tarraco (atual Tarragona). Com a crise que caiu sobre o Império Romano no século III, a Catalunha se viu abandonada por Roma, sendo afligida seriamente. Vulnerável, a região se viu cair nas mãos dos visigodos (um povo germânico originário do leste europeu), que se estabeleceram em Tarraconense, com o Reino de Tolosa sendo fundado em 475.

O domínio visigodo durou até o 711, quando os árabes reiniciam a tomada da Península Ibérica. Após algumas poucas batalhas, os árabes conseguiram tomar e se instalar na região, sendo expulsos apenas no fim do século, com o contra-ataque dos Carolíngios, que conseguiram tomar as regiões de Girona e Barcelona. No fim do século IX, Carlos II da França, oficializou o território como parte da Franca, nomeando Vifredo, o Veloso, Conde de Barcelona e Gerunda. Apenas no século seguinte o território se tornou autônoma da influência carolíngia, passando todo o século XI se desenvolvendo como uma região feudal independente. Quando Ramón Berenguer, conde de Barcelona, com a Petronila de Aragão, herdeira do trono do Reino de Aragão, as famílias se uniram e formaram a Cora de Aragão. A expansão da Coroa se deu com a conquista das cidades de Tortosa e Lérida, e dos reinos de Mallorca e Valência. Posteriormente, foram conquistados a Coroa da Sicília, Minorca e toda a região da Sardenha.

Assim, a Coroa de Aragão viveu seu grande apogeu, só sendo afetada no meio do século XIV por desastres naturais, além da recessão econômica, que desencadeou muitas tensões sociais e uma grave crise de sucessão, já que o Rei Martin havia morrido sem deixar um herdeiro nomeado. Com a conquista do Reino de Nápoles, em 1443, a crise se agravou fortemente. Devido à crise, as dinastias que controlavam a Coroa de Aragão, e o Reino de Castela, decidiram se unirem, com o casamento do Rei Fernando II de Aragão com Isabel I, dando início ao que viria a ser a monarquia espanhola.

Entre os séculos XVI e XVII, a região de Catalunha passou por sua maior crise, atravessando um pesado período decadente. O território deu início à Guerra dos Secadores, ou Revolta da Catalunha, um conflito armado que fez com que a Catalunha lutasse pela sua independência, contra a restante da Espanha, em especial contra a dinastia de Castela, que a dominava, recebendo apoio militar do reino da França. O conflito durou de 7 de junho de 1640 a 13 de outubro de 1652. O conflito resultou na assinatura do Tratado dos Pirinéus, onde foram entregues para a Franaça o condado de Rossilhão, e mais metade do condado da Sardenha, que faziam parte do Principado da Catalhuna. Em 1652 as autoridades francesas renunciaram ao domínio sobre a Catalunha, mas mantiveram o controle sobre a região do Rossilhão, dividindo definitivamente a Catalunha.

Um dos maiores orgulhos dos catalães é o idioma catalão. Ele é um idioma românico, falado por quase dez milhões de pessoas em todo o mundo. Além da Catalunha, o idioma também é falado nas ilhas baleares, Valência, Andorra, e cidade de Alghero (ilha da Sardenha, Itália). O espanhol falado neste território e o aranês, uma variedade da língua occitana, é própria e oficial do Vale de Arão (Vall d' Aran). O governo central da Catalunha costuma promover e o uso social do catalão, de acordo com o que é defendido pelo Estatuto de Autonomia e pela Constituição Espanhola.

Leia também:

Fontes:
http://www.catalonia.com.br/catalunha.asp
http://en.wikipedia.org/wiki/Catalonia
http://www.ci.com.br/saiba-mais.a-bela-e-independente-catalunha
Mapa: http://webcarta.net/carta/mapa.php?id=1161&lg=pt

Arquivado em: Espanha