Adaptação de Parasitas

Parasitas são organismos que vivem à custa do seu hospedeiro, consumindo partes de seu corpo. Podem se prender no corpo do hospedeiro, como é o caso dos carrapatos, pulgas e piolhos ou penetrá-lo, como acontece com vermes.

Para que o parasita tenha sucesso dentro do corpo de um organismo, ele precisa burlar as defesas, para não ser reconhecido e destruído. Se conseguirem sucesso, vão dispor de alimento pré-digerido pelo hospedeiro, um ambiente físico regulável e benigno.

Os parasitas precisam se dispersar no ambiente para trocar de hospedeiro, e isso eles fazem através de ciclos de vida, alguns até muito complexos. Normalmente dispõem de dois tipos de hospedeiro, normalmente um ser humano e um animal, estando em um estágio da metamorfose em cada.

Podemos usar como exemplo o ciclo de vida do verme causador da teníase. O homem é o hospedeiro do verme Tênia no estado adulto, que vive em seu intestino. A tênia é um verme hermafrodita e a fecundação ocorre em segmentos de seu corpo. Esses segmentos contendo ovos se desprendem e são liberados no ambiente juntamente com as fezes do hospedeiro.

Como o porco é um animal que se alimenta de dejetos, pode se contaminar com esses ovos. Dentro do organismo do porco, os embriões saem dos ovos, penetram pela mucosa intestinal e migram pela corrente sanguínea até os tecidos musculares, onde se desenvolvem larvas, chamadas cisticercos, que possuem já o escólex envolvido por uma membrana.

A contaminação humana ocorre quando a carne de porco contendo esses cisticercos é digerida. Na digestão é liberado o escólex, que se fixa na parede do intestino através de suas ventosas e ali se hospeda, se aproveitando de alimentos pré-digeridos, crescendo e se reproduzindo.

O equilíbrio entre as populações de parasitas e hospedeiros depende da virulência do parasita e do sistema imune do hospedeiro. Alguns parasitas se aproveitam da baixa imunidade ou demora na resposta imune para se reproduzir e se alimentar. Bactérias da pele podem ser citadas como exemplo. Elas vivem normalmente sobre a pele, porem se houver algum tipo de lesão elas podem penetrar no organismo e causar uma infecção. O vírus HIV tem mecanismos para suprimir as defesas do ser humano. Outros parasitas têm estratégias para burlar os anticorpos do hospedeiro. Bactérias capsuladas são escorregadias e conseguem escapar da fagocitose. Bactérias da mesma espécie, porem sem cápsula, podem absorver DNA de bactérias capsuladas mortas e passar a produzir cápsula para sobreviver no organismo.

Arquivado em: Evolução