Homem de Neandertal

Mestre em História Comparada (UFRJ, 2020)
Bacharel em História (UFRJ, 2018)

Ouça este artigo:

Homo neanderthalensis ou neandertal (imagem abaixo) é o nome dado a uma espécie extinta de hominina do gênero homo que ocorreu aproximadamente entre 400 mil e 35 mil anos atrás. Surgiram no norte da Europa e, ao longo dos seus mais de 350 mil anos de existência, se espalharam pelo continente europeu, migrando também para o oriente médio e o sul da Sibéria. O Homo neanderthalensis era extremamente adaptado a temperaturas frias e secas, o que explica sua ocorrência geográfica.

Seus vestígios foram descobertos pela primeira vez em uma caverna no vale Neander, no oeste da Alemanha. Daí seu nome: Neander + thal, com o sufixo semelhante ao alemão tal, que significa vale.

Reconstrução imaginativa de um Homo neanderthalensis no Museu Smithsonian (EUA).

A princípio cientistas disputaram argumentos se estes teriam sido os primeiros europeus, narrativa que sobreviveu graças a icônica imagem do “homem das cavernas”, ou uma outra espécie semelhante aos humanos.

Após análises morfológicas os pesquisadores encontraram diferenças suficientes para sustentar que esta seria outra espécie. Todavia, cientistas ainda divergem sobre a capacidade comunicativa e de simbolismo entre o Homo neanderthalensis, e mesmo outros homo.

Isto quer dizer que é possível encontrar defensores da inclusão do neandertal na categoria “humano”, como uma subespécie, Homo sapiens neandethalensis. Apesar disso, o consenso mais aceito é considerá-lo como uma espécie diferente.

Características

Os exemplares de Homo neanderthalensis encontrados apresentam características físicas bem diversas, mas em comum é possível afirmar que eram robustos, tinham troncos largos, grandes aberturas nasais. Sua estatura girava em torno de 1,60m e a capacidade craniana média de 1600 cm³. A cabeça maior, porém, não quer dizer que eram mais espertos que os humanos modernos.

Os neandertais também tinham como característica não apresentarem testa e queixo (característica dos humanos modernos), além de osso supra orbital (sobrancelhas) protuberante, o palato (boca) e a mandíbula puxados para frente e um nariz grande, especialmente útil em climas mais frios. De fato, várias partes do corpo desses fósseis tendem a forma circular, o que reforça a relação entre o processo evolutivo do Homo neanderthalensis e as baixas temperaturas.

O Homo neanderthalensis também caçava grandes animais à curta distância, utilizando lanças com pontas, sendo forte o suficiente para carregar as carcaças depois. Tal afirmação é sustentada por diversas fraturas ósseas características de impactos sofridos e arremessos, o fêmur (osso da coxa) curvo, além dos restos de grandes mamíferos (renas) encontrados nos mesmos locais, que provavelmente serviram de alimento.

Origem, cultura, misturas e extinção

Sua origem deriva um grupo de Homo heidelberguensis, como indicam os vestígios de homininas intermediários encontrados no sítio arqueológico de Atapuerca, Espanha, datados de 430 mil anos atrás.

Os neandertais também desenvolveram ferramentas sofisticadas de pedra lascada (imagem abaixo), geralmente identificada como cultura mousteriana. Além do mais, foram capazes de navegar, ainda que por distâncias mais curtas, e de explorar recursos e adquirir alimento do mar.

Ponta de lança mousteriana. Foto: Guérin Nicolas / Wikimedia Commons / CC-BY-SA 3.0

Cientistas acreditam que o Homo neanderthalensis tinha uma vida cultural organizada, já que encontraram vestígios de ervas utilizadas para fins medicinais, além da indicação de que eles realizavam ritos funerais e enterravam seus mortos, o que explica a grande quantidade de vestígios encontrados.

Os neandertais passaram também por processos de hibridização. Primeiro com seres da espécie Homo denisovano, oriunda também do Homo Heidelbergensis e vinda da Ásia. Depois, houve mistura com outra espécie que teve o heidelbergensis como ancestral: os sapiens mais antigos, chamado anteriormente de Cro-magnon, os primeiros Homo sapiens a chegarem a Europa. Por fim, o Homo neanderthalensis também cruzou com o humano culturalmente moderno, que saiu da África, poucos milhares de anos antes da sua extinção.

Cientistas atribuem seu desaparecimento aos encontros com dois grupos dos Homo sapiens que saíram da África. Os primeiros misturaram-se e mesmo trocaram tecnologia, já os mais recentes provavelmente disputaram territórios e recursos, consequentemente superando os neandertais. Cientistas ainda divergem sobre os motivos da substituição, mas geralmente é atribuída aos lobos que os sapiens domesticaram (cães de caça) e a hipótese, cada vez mais questionada, do superior desenvolvimento comunicativo e simbólico dos humanos modernos.

Leia mais:

Referências:

CONDE-VALVERDE, Mercedes et al. Neanderthals and Homo sapiens had similar auditory and speech capacities. Nature Ecology & Evolution, v. 5, n. 5, p. 609-615, 2021.

EVOLUÇÃO e dispersão dos hominídeos (Parte 2: demasiado humanos) (#Pirula 338.2). Publicado pelo Canal do Pirula. [S. l.: s. n.]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=IK10Iqqzv1c. Acesso em: 11/09/2021.

NEVES, Walter. A SAGA da Humanidade -- Aula 10 (Homo neanderthalensis). Publicado pelo Canal da USP [S. l.; s. n]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=_XWwZoYKKbQ. Acesso em: 15/09/2021.

SMITHSONIAN National Museum of Natural History. Homo Neanderthalensis.. Disponível em: https://humanorigins.si.edu/evidence/human-fossils/species/homo-neanderthalensis. Acesso em: 16/09/2021.

TRINKAUS, Erik. Neanderthal. 06 de fevereiro de 2020. Encyclopedia Britannica. Disponível em: https://www.britannica.com/topic/Neanderthal. Acesso em: 17/09/2021.